Cidades nigerianas têm confrontos em meio à apuração de votos

Partidários de candidato da oposição que deve ser derrotado queimam pneus e fazem manifestações na Nigéria

BBC Brasil |

selo

Confrontos foram registrados nas cidades de Kano e Kaduna, no norte da Nigéria, em meio à apuração dos votos na eleição presidencial do país.

Com quase todos os votos apurados, o atual presidente, Goodluck Jonathan, deve ser reeleito já no primeiro turno com quase o dobro do número de votos de seu principal opositor, o general Muhammad Buhari.

Reuters
Fumaça é vista na cidade de Kano, no norte da Nigéria

No entanto, os partidários de Buhari, que é muito popular no norte do país, entraram em confronto com a polícia. De acordo com o repórter da BBC em Kano Mansur Liman, colunas de fumaça podem ser vistas na cidade, a maior do norte da Nigéria, onde jovens queimam pneus pelas ruas.

Os manifestantes alegam que as eleições foram fraudadas em algumas regiões no sul, onde há discrepância entre o comparecimento de eleitores e os resultados. A polícia pediu calma à população por meio da rádio estatal, mas também disparou gás lacrimogêneo em algumas áreas de Kano.

Alunos de escolas locais foram mandados de volta para casa, enquanto vários estabelecimentos fecharam suas portas. Segundo o repórter da BBC, há informações de que casas de políticos importantes, integrantes do partido de Jonathan, foram atacadas.

Em Kaduna, a polícia usou gás lacrimogêneo e balas de verdade para tentar dispersar outro protesto, segundo o repórter da BBC Abdullahi Kaura Abubakar.

Eleição

Uma equipe de observadores da União Africana informou que esta eleição presidencial na Nigéria foi a menos atribulada em décadas. Enquanto as votações passadas foram marcadas por muita violência e fraudes, a votação de sábado parece ter sido mais tranquila.

Eleitores de muitas regiões esperaram em longas filas, apesar do calor intenso. A eleição foi realizada após uma série de cancelamentos por problemas de "organização". Um porta-voz do general Buhari afirmou que ocorreram irregularidades na votação, mas quaisquer contestações deverão ocorrer apenas depois da contagem dos votos.

Até o momento, os resultados apontam para a vitória de Goodluck Jonathan. Para vencer ainda no primeiro turno, um candidato precisa de pelo menos 25% dos votos em pelo menos dois terços dos 36 Estados do país.

AFP
Manifestantes protestam contra resultado das eleições em Kano

Segundo os resultados regionais, Jonathan já ultrapassou este limite em pelo menos 24 Estados. Ele já obteve mais de 22 milhões de votos, contra cerca de 12 milhões do ex-líder militar Buhari. Jonathan teria conseguido 95% dos votos no Estado de Akwa Ibom e 99% em Anambra.

Em seu Estado, Bayelsa, ele obteve 99,63% dos votos. Caso a vitória de Jonathan seja confirmada, ele será o primeiro presidente vindo do Delta do Níger a ser eleito pelos nigerianos.

Eleito vice-presidente em 2007, ele assumiu o poder em 2010, após a morte do presidente Umaru Yar'Adura. Esta foi a terceira eleição nacional na Nigéria desde o fim do governo militar do país, em 1999. Desde então, a cena política é dominada pelo Partido Democrático do Povo (PDP), do atual presidente.

    Leia tudo sobre: nigériaeleiçãoGoodluck Jonathan

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG