China confirma construção de seu primeiro porta-aviões

Embarcação de 300 metros de comprimento é uma versão remodelada do navio ucraniano Varyag e deve ser testada no mar até fim do ano

BBC Brasil |

selo

A China confirmou nesta quarta-feira que está construindo o seu primeiro porta-aviões, uma versão remodelada do navio ucraniano Varyag. A embarcação, de 300 metros de comprimento, está sendo reconstruída no porto de Dalian, no nordeste do país, e deve começar a ser testada no mar até o fim do ano.

O governo chinês vinha tentando manter os planos em segredo, mas a existência do porta-aviões já era amplamente conhecida por observadores e jornalistas.

Ao jornal Commercial Daily, de Hong Kong, o chefe do Estado-Maior Geral do Exército de Liberação do Povo, general Chen Bingde, disse que o porta-aviões não representa ameaça para outras nações. “Todas as grandes nações do mundo possuem seus próprios porta-aviões, eles são o símbolo de uma grande nação”, disse o general.

A China tem disputas territoriais com países vizinhos, como o Japão e o Vietnã, e periodicamente troca farpas com a ilha de Taiwan. “Estamos nesse momento enfrentando pressão nos oceanos, seja no mar do Sul da China, do leste, no Mar Amarelo ou no Estreito de Taiwan”, disse o general.

O correspondente da BBC em Pequim, Michael Bristol, disse que o porta-aviões só deve começar a ser utilizado em operações dentro de alguns anos. Antes, afirma Bristol, o Exército precisa realizar testes para aprender a operar o navio, e realizar pousos e decolagens na pista.

    Leia tudo sobre: chinaembarcaçãoporta-aviões

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG