Cantor pop indonésio é condenado por vídeos de sexo na internet

Nazril Irham, conhecido como Ariel, é a primeira celebridade a ser processada pela lei antipornografia da Indonésia

BBC Brasil |

selo

AP
Ariel é visto ao lado da namorada, a apresentadora Luna Maya, que apareceria em um dos vídeos
Um tribunal indonésio condenou nesta segunda-feira um dos mais conhecidos cantores pop do sudeste asiático a três anos de prisão por gravar e distribuir vídeos com conteúdo sexual na internet.

Os vídeos com Nazril Irham, ou Ariel, como o cantor é conhecido, e duas outras celebridades locais foram divulgados em junho.

Ariel é a primeira celebridade a ser processada pela dura lei antipornografia adotada pela Indonésia em 2008.

Ele negou ter distribuído os vídeos, alegando que eles tinham sido furtados, mas grupos islâmicos conservadores pressionaram por sua punição.

'Figura pública'

O cantor foi considerado culpado de "dar a oportunidade a outros para espalhar, produzir e preparar vídeos pornográficos", de acordo com o veredicto.

"Como uma figura pública, o réu deveria estar ciente de que os fãs poderiam imitar seu comportamento", afirmou o juiz Singgih Budi Prakoso. Para o juiz, Ariel não fez nada para evitar a distribuição dos vídeos pela internet. O cantor compareceu ao tribunal acompanhado de sua namorada, a apresentadora de TV Luna Maya, que seria a mulher que apareceria em um dos dois vídeos.

A mulher que aparece no outro vídeo seria Cut Tari, uma cantora de ópera com quem Ariel havia mantido um relacionamento antes. As duas mulheres não foram processadas.

    Leia tudo sobre: justiçaindonésiapornografia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG