Desde que foi criado, calendário anual de universidade britânica angariou R$ 28,5 mil; depois de vazamento, poderá ser extinto

selo

Um calendários de jovens estudantes nuas cuja verba seria destinada à caridade poderá ser extinto, depois de as fotos das alunas terem vazado na internet e ido parar em sites de conteúdo pornográfico. O calendário anual, criado por estudantes da Universidade de Portsmouth, no Reino Unido, já angariou um total de 10 mil libras (cerca de R$ 28,5 mil) desde que foi lançado pela primeira vez, em 2006.

Fotos de alunas nuas da Universidade de Portsmouth, tiradas para um calendário, foram parar em site pornô
Reprodução
Fotos de alunas nuas da Universidade de Portsmouth, tiradas para um calendário, foram parar em site pornô
O grêmio dos alunos da Universidade de Portsmouth fará uma reunião de emergência na próxima terça-feira para decidir se o calendário de 2012 deverá ou não ser cancelado. A polêmica em torno do calendário se deu após reclamações feitas pela líder do grêmio estudantil, Becky Gardner, que afirmou que, com o vazamento, as estudantes que posaram para o calendário teriam sido expostas ao ridículo e à exploração.

A representante estudantil contou ter conversado com 20 mulheres que disseram se sentir ''arrasadas'' com a aparição de suas fotos em sites pornôs, nos quais as imagens delas foram vistas ao lado de comentários ''desconfortáveis e de baixo nível''.

'Pressão'

Gardner relatou também que muitas alunas teriam sido pressionadas a participar do calendário. Mas Stephen Dancey, presidente do comitê executivo da Universidade de Portsmouth, que está batalhando pela preservação do projeto, afirmou não ter conhecimento de que qualquer jovem participante tenha sido pressionada a posar nua.

Dancey acrescentou que estão sendo tomadas precauções a fim de evitar que as jovens possam ser exploradas - por exemplo, fotos que não foram editadas serão apagadas, disse ele.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.