Cabeças decapitadas são encontradas diante de escola no México

Cem escolas locais estão fechadas desde que foram achados bilhetes exigindo a entrega da metade dos salários dos professores a cartéis

BBC Brasil |

selo

Cinco cabeças humanas em estado de decomposição foram encontradas na terça-feira em uma escola na cidade turística de Acapulco, no sudoeste do México, país que é palco de violentas disputas entre narcotraficantes e policiais. As cabeças estavam dentro de um saco - segundo fontes, acompanhadas de mensagens escritas à mão, ameaçando o governador do Estado de Guerrero e chefes de cartéis de drogas da região.

AP
Soldados do Exército do México observam corpos perto de veículo incendiado em Acapulco, que tem registrado aumento de violência entre cartéis de drogas rivais (27/9/2011)
Cinco corpos de homens decapitados já haviam sido encontrados em outra parte da cidade, dentro e ao lado de um veículo incendiado. Ainda não está claro se os crimes estão ligados a ameaças de extorsão feitas aos professores de Acapulco.

Cerca de cem escolas estão fechadas desde o mês passado na cidade por conta de uma greve de professores que exigem melhores condições de segurança. A greve começou depois que bilhetes foram deixados nas portas das escolas ameaçando os professores caso eles não entregassem a metade de seus salários a cartéis locais até 1º de outubro.

O governador de Guerrero, Angel Aguirre, prometeu mais policiamento e a instalação de câmeras de segurança e alarmes nas escolas, mas os docentes consideram as medidas insuficientes. Um dos grevistas disse à BBC que, ainda que agradecesse as promessas governamentais, não acreditava que a situação de segurança nas escolas melhorará da noite para o dia.

Guerra do tráfico

Acapulco, na costa mexicana no oceano Pacífico, tem vivenciado diversos episódios de violência, enquanto cartéis disputam o controle do tráfico na cidade. À medida que as forças de segurança governamentais aumentam a ofensiva contra os traficantes, estes recorrem cada vez mais à extorsão como meio de manter o fluxo de recursos.

Desde 2006, quando o governo do México iniciou uma ofensiva contra cartéis, ao menos 41 mil pessoas morreram em episódios de violência relacionados ao narcotráfico, segundo cálculos divulgados pela agência France Presse.

    Leia tudo sobre: méxiconarcotráficocartéisacapulco

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG