Brown diz que está aberto para negociar com outros partidos

O primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Gordon Brown, disse, na tarde desta sexta-feira, que está aberto para conversar com todos os líderes dos partidos do país. A declaração do premiê foi feita horas após projeções terem comprovado que nenhum partido obteve, nas eleições gerais de quinta-feria, maioria absoluta no Parlamento, o que permitiria a formação de um novo governo.

BBC Brasil |

selo

O partido de Brown, o Trabalhista, obteve o segundo maior número de cadeiras no Parlamento do país, atrás de seu maior rival, o Partido Conservador. Nenhum deles, no entanto, conseguiu a maioria de 326 cadeiras necessária para ter a maioria absoluta. O premiê disse que irá esperar pelas conversas entre o líder dos conservadores, David Cameron, e o do Partido Liberal-Democrata, Nick Clegg. Segundo Brown, se essas negociações falharem, ele iniciaria conversas com os liberais-democratas. Os liberais-democratas ficaram em terceiro no número de cadeiras conquistadas e agora são cortejados por conservadores e trabalhistas como potencial parceiro de coalizão. Segundo Brown, seu partido tem interesses e propostas comuns com os liberais-democratas, principalmente nas áreas de economia e reforma política. Constituição Pela Constituição britânica, o primeiro-ministro que já está no poder em um Parlamento sem maioria absoluta tem o direito de fazer a primeira tentativa de formar uma coalizão para governar. Gordon Brown disse, no entanto, que "respeita" o direito dos liberais-democratas de iniciarem negociações com os conservadores. O líder dos Conservadores, David Cameron, convocou a imprensa para um anúncio na tarde desta sexta-feira, no qual deve apresentar o que chamou de plano de formar um "governo estável". Pela primeira vez desde 1974, a Grã-Bretanha sai de uma eleição geral sem que um partido tenha alcançado a maioria absoluta para formar um novo governo. Os conservadores obtiveram pelo menos 298 cadeiras, os trabalhistas - partido do primeiro-ministro, Gordon Brown - 253 e os liberais-democratas 54. Para obter a maioria absoluta, um partido teria que obter 326 cadeiras. David Cameron tenta chegar ao poder após 13 anos de governo dos trabalhistas. Mais de 44 milhões de pessoas estavam registradas para votar, mas o voto não é obrigatório. O pleito deve eleger parlamentares e representantes distritais em 164 áreas em toda a Grã-Bretanha. No total, há quase 4.150 candidatos nestas eleições.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG