Britânico é preso por zombar de jovens mortos no Facebook

Sean Duffy, de 25 anos, foi sentenciado a 18 semanas por 'trollagem': escrever insultos e ofensas online anonimamente

BBC Brasil |

selo

Um homem de Berkshire, no Reino Unido, foi preso por escrever mensagens em um site de rede social zombando de uma garota que cometeu suicídio. Sean Duffy, de 25 anos, foi condenado a 18 semanas na prisão pelo que escreveu sobre a adolescente Natasha MacBryde, de 15 anos, no Facebook e no YouTube.

Segundo a polícia, Duffy também havia escrito mensagens ofensivas sobre adolescentes mortos em Northumberland, Gloucestershire e Staffordshire. O homem se declarou culpado de "trollagem", termo usado para descrever o ato de escrever insultos e mensagens ofensivas online anonimamente. Ele foi descoberto pela polícia por meio de informações fornecidas pelo seu provedor de internet.

Bullying

A adolescente Natasha MacBryde se atirou embaixo de um trem em fevereiro, depois de sofrer bullying. Após sua morte, Sean Duffy postou mensagens anônimas em uma página criada pelo irmão de Natasha, James, para que a família e os amigos da jovem pudessem homenageá-la.

Em uma das mensagens, Duffy a chamou de prostituta. Ele também postou um vídeo no YouTube em que um personagem infantil aparecia com o rosto de Natasha. O pai da jovem, Andrew, disse em um comunicado lido no tribunal que "não conseguiu acreditar que alguém poderia descer tanto", depois que seu filho lhe contou sobre as mensagens.

Antissocial

A promotoria também pediu que os juízes considerassem outros casos de ofensas protagonizadas por Duffy para decidir sua sentença. A corte também ouviu que o britânico tinha problemas com álcool e sofre de síndrome de Asperger.

Ele também havia postado mensagens ofensivas sobre Lauren Drew, de 14 anos, que foi encontrada morta depois de supostamente ter sofrido um ataque epiléptico; sobre Hayley Bates, de 16 anos, que morreu em um acidente de carro e sobre Jordan Cooper, de 14 anos, que foi morto a facadas na região de Northumberland.

No último dia das Mães, ele escreveu uma mensagem em uma página que homenageava Lauren Drew, que dizia: "Socorro, mamãe, está quente no inferno." Sean Duffy não conhecia nenhum dos adolescentes sobre os quais escreveu.

Ele recebeu uma Ordem de Comportamento Antissocial da Justiça (Asbo, na sigla em inglês), que o proíbe de usar sites de rede social por cinco anos. O pai de Lauren Drew pediu que o Facebook fizesse mais para impedir que o site seja mal utilizado, dizendo que o serviço "é uma coisa maravilhosa se for usado corretamente".

O advogado Lance Whitford disse que Duffy foi diagnosticado com síndrome de Asperger ainda jovem. Uma das características da síndrome é a inabilidade de interpretar corretamente reações e emoções alheias. Ele também disse que Duffy lutava contra problemas com álcool e tinha "uma vida horrível".

    Leia tudo sobre: facebookyoutubetrollagemgrã-bretanha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG