Britânica morre após mensagem de suicídio ter sido ignorada por mais de mil amigos no Facebook

Mulher de 42 anos vítima de overdose provocada por remédios anunciou sua morte na rede social

BBC Brasil |

selo

A britânica Simone Back, de 42 anos, anunciou uma tentativa de suicídio pelo Facebook e seus contatos no site não acreditaram. Ela teve uma overdose provocada por remédios no dia 25 de dezembro de 2010.

Back, uma trabalhadora voluntária que estava deprimida, escreveu uma mensagem aos 1.048 amigos no Natal dizendo: "Tomei todos os meus remédios, estarei morta em breve, adeus a todos".

Segundo a imprensa britânica, ela recebeu cerca de 150 mensagens em resposta. Algumas pessoas diziam que ela "fazia isso o tempo todo", outras disseram que ela estava mentindo e que era "sua escolha" tomar os remédios. Ao serem questionados, em meio à discussão, sobre a preocupação caso Simone estivesse falando sério, alguns amigos pediram seu endereço e telefone pelo site, sem sucesso.

Sua mãe, Jennifer Langridge, de 60 anos, recebeu uma mensagem de celular sobre a nota de suicídio da filha e ligou para a polícia. Ao ser encontrada em seu apartamento, Back foi levada para o hospital, mas morreu em consequência da overdose.

Mensagem

Langridge disse que não havia sido avisada sobre as intenções da filha a tempo. Ela escreveu uma mensagem na página da filha no Facebook que dizia: "Minha filha Simone faleceu hoje, então por favor deixem-na em paz".

Por causa de dificuldades de locomoção, ela disse que não podia subir as escadas até o apartamento de Simone. A mãe afirmou ainda estar chateada porque ninguém fez nada por ela ao ver a mensagem no site.

A polícia de Sussex investiga as razões do suicídio, mas um dos contatos de Simone Back chegou a respondê-la dizendo que "um relacionamento não é uma boa razão para tomar remédios".

Uma amiga de Back, Samatha Pia Owen, disse aos jornais britânicos que "algumas pessoas do Facebook moravam perto de Simone e poderiam ter caminhado até lá. Se uma pessoa tivesse saído da frente do computador e ido até sua casa, uma vida poderia ter sido salva".

Um porta-voz do Facebook disse em comunicado que familiares e amigos preocupados com outras pessoas por causa de mensagens colocadas no site podem se comunicar com o centro de ajuda, onde profissionais estariam a postos para examinar o caso e entrar em contato com os autores das mensagens.

    Leia tudo sobre: grã-bretanhasuicídiointernetfacebook

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG