Britânica escapa após ser amarrada e enterrada viva em caixa

Segundo promotor, Marcin Kasprzak, 25 anos, se cansou da namorada e resolveu 'se livrar dela'

BBC Brasil |

selo

Ross Parry
O bosque onde Michelina Lewandowska teria sido enterrada vivia
Um mulher foi amarrada, amordaçada e enterrada viva em uma caixa depois que seu namorado "se cansou" dela, segundo a acusação em um caso de tentativa de homicídio na Grã-Bretanha.

Michelina Lewandowska, de 27 anos, foi enterrada em uma cova rasa em um bosque perto da cidade de Huddersfield, em maio, após ser imobilizada com uma arma de choque (taser), mas conseguiu escapar "com grande dificuldade" e acenar para um carro que passava perto do local, de acordo com a promotoria.

Seu namorado, Marcin Kasprzak, de 25 anos, com quem ela tem um filho de 3 anos, e o amigo dele Patryk Borys, de 18, negam tentativa de assassinato.

O promotor no caso, Jonathan Sharp disse: "Resumindo, este caso é sobre um jovem que se cansou de sua parceira, a mãe de seu filho, e decidiu se livrar dela. Ele e seu amigo a colocaram em uma caixa, a levaram de carro até um bosque, onde ela dificilmente seria encontrada, e cavaram uma cova rasa, onde a enterraram viva", disse ele durante o julgamento.

Kasprzak teria dito a Lewandowska que ela não era tão bonita como as meninas que ele via na academia de ginástica. A acusação também afirmou que ele saía com amigos e, às vezes, passava a noite toda fora, em vez de ficar com a família.

Além disso, ele estaria pensando em começar um relacionamento com outra mulher e havia trocado seu status no Facebook para "solteiro".

Crime

O promotor disse que, em maio, Kasprzak usou um taser (arma de eletrochoque) de 300 mil volts na vítima e chamou um amigo para ajudá-lo. "É verdade que a arma de choque não teve o efeito prometido. Michelina não ficou paralisada", disse Sharp.

Ela foi então colocada em uma caixa de computador, que foi lacrada. Dois buracos permitiam que o ar entrasse. Segundo o promotor, os acusados cavaram um buraco grande o suficiente para a caixa.

"Eles carregaram Michelina, fechada dentro da caixa, montanha acima, a colocaram no buraco e a cobriram com terra. Eles encontraram um tronco grande, pesando cerca de 40 quilos, e colocaram em cima da caixa. Michelina não estava desmaiada e conseguiu, com grande dificuldade, sair da caixa e retirar a terra em volta. Eles queriam matá-la", disse o promotor.

O julgamento continua esta semana.

    Leia tudo sobre: reino unidocrimeMichelina Lewandowska

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG