BP promete limpar vazamento de petróleo na costa dos EUA

A petroleira britânica British Petroleum (BP) reconheceu a responsabilidade pela limpeza do vazamento de petróleo de uma plataforma que afundou na costa sul dos Estados Unidos, o que gerou uma enorme mancha no Golfo do México. O diretor-executivo da companhia, Tony Hayward, está no Estado da Louisiana para supervisionar a operação de limpeza e disse ao programa Good Morning America, do canal americano ABC, que a BP não era responsável pelo acidente, mas aceitava realizar a limpeza da região.

BBC Brasil |

A petroleira britânica British Petroleum (BP) reconheceu a responsabilidade pela limpeza do vazamento de petróleo de uma plataforma que afundou na costa sul dos Estados Unidos, o que gerou uma enorme mancha no Golfo do México. O diretor-executivo da companhia, Tony Hayward, está no Estado da Louisiana para supervisionar a operação de limpeza e disse ao programa Good Morning America, do canal americano ABC, que a BP não era responsável pelo acidente, mas aceitava realizar a limpeza da região. "Este acidente não foi nossa culpa. Esta era uma plataforma de perfuração operada por outra companhia. Foram os seus funcionários, seus sistemas e seus processos. Não somos responsáveis pelo acidente, mas somos responsáveis pelo petróleo, por lidar com ele e pela limpeza", afirmou. Hayward acrescentou que está trabalhando com a possibilidade de precisar de dois a três meses para limpar a mancha de petróleo, que já atingiu pontos da costa americana. Obama A plataforma, que pertence à empresa suíça Transocean e estava sendo operada pela British Petroleum (BP), explodiu no dia 20 de abril e afundou na quinta-feira seguinte, depois de ficar dois dias em chamas. No domingo, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, visitou a cidade de Venice, na Louisiana, a primeira a ser atingido pela mancha, para acompanhar os trabalhos de contenção do petróleo. Obama responsabilizou a BP, que operava a plataforma, pelo desastre e pelo vazamento. "A BP vai pagar a conta", afirmou. De acordo com Obama, o vazamento é um desastre ambiental "potencialmente sem precedentes". Custos e ações Especialistas afirmam que o custo da operação de limpeza poderá chegar aos bilhões de dólares. A BP, por sua vez, afirmou que vai atender aos pedidos legítimos de indenizações das pessoas afetadas pelo vazamento. Em várias entrevistas nesta segunda-feira, Tony Hayward afirmou que a BP está fazendo tudo o possível para limpar a mancha. Hayward afirmou que um sistema de contenção submarino foi criado e deverá ser colocado no local dentro de uma semana para conter o vazamento de petróleo e canalizá-lo para um petroleiro, na superfície. Nesta segunda-feira, as ações da BP caíram ainda mais em meio às dúvidas quanto à quantidade de petróleo está sendo perdida e ao custo da operação de limpeza, que pode ser muito maior do que o inicialmente previsto. O mercado financeiro britânico está fechado nesta segunda-feira, mas as ações da BP em Frankfurt abriram com uma baixa de 8% e apenas depois recuperaram parte das perdas. Desde o acidente, as ações da gigante do setor já registraram queda de 13%.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG