Boom de souvenires celebrando morte de Bin Laden causa polêmica na internet

Para alguns, venda de milhares de produtos idealizados por americanos em diversos sites é exploração comercial de um assassinato

BBC Brasil |

selo

Divulgação Zazzle
Chaveiro traz mensagem comemorando morte do líder da Al-Qaeda, Osama Bin Laden
Milhares de produtos celebrando a morte de Osama Bin Laden, idealizados por internautas americanos, estão sendo vendidos em diversos sites na web. Exemplos desses itens são um chaveiro com o rosto estampado do líder da Al-Qaeda, em meio à mira de uma arma, com as palavras Osama Bin Killed - um trocadilho com Osama (Has) Been Killed, ou "Osama Foi Morto" em inglês.

Também há canecas com o rosto de Bin Laden e a palavra "morto" sobreposta a ele, e até uma roupa de bebê com a frase: "Eu Matei Osama." Americanos de todos os cantos estão produzindo imagens para ser estampadas em bonés, adesivos de carros e camisetas. Depois, eles fazem upload das figuras em lojas online, que imprimem os produtos e os vendem, com lucro revertido para o autor da imagem. Os itens mais vendidos podem render milhares de dólares a seus autores.

Potencialmente lucrativo

A empresa Zazzle, sediada na Califórnia (EUA), afirma que já vendeu "dezenas de milhares" desses produtos online desde domingo, com preços variando entre US$ 15 (R$ 24) e US$ 40 (R$ 64). O diretor de marketing da Zazzle, Mike Karns, afirma que esse tipo de item tem sido o mais vendido pela empresa nos últimos dois dias.

"Você agora tem plataformas para empreendedores fazerem produtos em resposta a isso e quase instantaneamente vendê-los não só nos Estados Unidos, mas em todo o mundo", diz Adam Hanft, executivo-chefe da empresa de marketing Hanft Projects, de Nova York.

Comemoração estranha

A venda desses produtos, no entanto, desatou críticas de que ela seria uma exploração comercial inapropriada de um assassinato. Vários usuários do Serviço Mundial da BBC manifestaram sua oposição à inciativa em comentários publicados no Facebook.

Matthew Clanahan afirma que os produtos são "de mau gosto, cafonas e nojentos", enquanto Gerard Ng diz: "Alguns podem chamar isso de empreendedorismo, mas eu chamo de ganância." Karns reconhece que algumas pessoas podem se sentir desconfortáveis. "Comemorar a morte de alguém é um coisa estranha. Isso deixa as pessoas desconfortáveis na maioria das vezes, mesmo se essa pessoa foi um dos piores caras do mundo."

Joe Schmidt, chefe de mercados consumidores no site CafePress, descreve a morte de Bin Laden como um evento "incomum e excepcional". Mas alguns dizem que comemorar o fim de um adversário por meio da cultura e da moda é uma tradição antiga, que só está sendo expressa de uma maneira moderna.

"É uma maneira de dançar sobre o túmulo do inimigo", afirma o antropólogo Grant McCracken. "Para a maioria das pessoas, isso é uma maneira de participar de um ato nacional, apreciando o fato de que esse homem que levou terror aos EUA não existe mais."

Outros veem ironia no fato de que o negócio envolvendo "Osama Está Morto" tenha dado tão certo. "É irônico que exista um fim capitalista para o veneno anticapitalista de Osama", diz Adam Hanft.

    Leia tudo sobre: obamabin ladenterrorismoal-qaedasouvenir

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG