Berlusconi diz que é melhor gostar de garotas bonitas do que ser gay

Premiê italiano é pressionado a renunciar por alegações de envolvimento com menor de idade

BBC Brasil |

selo

O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, rejeitou nesta terça-feira pedidos para que renuncie por causa de alegações de envolvimento com uma menor de idade e causou nova polêmica ao dizer que "é melhor gostar de garotas bonitas do que ser gay".

AP
Premiê italiano, Silvio Berlusconi, discursa durante feira de motocicletas em Milão, Itália
A oposição acusa Berlusconi de abuso de poder com base nas informações de que ele teria telefonado para a polícia milanesa, em maio, para interceder a favor de uma garota fugitiva, apelidada pela imprensa italiana de Ruby, acusada de furto.

A imprensa italiana afirma que, no telefonema, Berlusconi teria dito para a polícia que a garota seria neta do presidente egípcio, Hosni Mubarak. À época, a dançarina de dança do ventre marroquina tinha 17 anos de idade e há relatos de que ela teria visitado a casa de Berlusconi pelo menos uma vez.

Reações

A declaração de Berlusconi, feita durante um evento público em Milão, provocou protestos de grupos de defesa dos direitos dos gays, que acusam o líder italiano de estimular a homofobia.

Em carta aberta ao governo, a Arcigay (Associação Lésbica e Gay Italiana) afirmou que os comentários do primeiro-ministro "representam um perigoso incentivo ao preconceito e ajudam a legitimar a discriminação, a injustiça e o sofrimento".

O correspondente da BBC em Roma, Duncan Kennedy, afirma que, apesar do impacto negativo das declarações de Berlusconi, a investigação sobre abuso de poder pode ter consequências mais graves para o primeiro-ministro italiano.

    Leia tudo sobre: itáliasilvio berlusconigay

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG