Bebê morre após ser submerso três vezes durante batismo

Padre ortodoxo da Moldávia é acusado de prosseguir com cerimônia apesar de sinais de que criança se afogava em pia batismal

BBC Brasil |

selo

Um padre da Moldávia está sendo investigado pela morte de um bebê que se afogou após ter sido submerso três vezes durante a cerimônia de batismo.

Familiares acusam o padre, Valentin Taralunga, da Igreja Católica Ortodoxa, de negligência ao prosseguir com a cerimônia apesar dos sinais de que a criança, de um ano e meio, estava se afogando na pia batismal.

Reprodução
Foto cedida pela Publika TV mostra imagem de vídeo amador do batismo que circulou na mídia da Moldávia
Médicos da capital moldávia, Chisinau, diagnosticaram que o bebê morreu por afogamento. O padre está sendo investigado por homicídio culposo, punível com até três anos de prisão.

Ao prestar depoimento, o padre Taralunga negou as acusações e disse que obedeceu aos cânones religiosos que ensinam sobre a cerimônia de batismo. A família repassou à polícia um vídeo amador do momento em que o religioso submerge a criança na água. O conteúdo do vídeo foi divulgado pelas TVs locais. Entretanto, os investigadores que trabalham no caso disseram a uma delas, a Publika TV, que ainda é cedo para chegar a uma conclusão.

Na cerimônia católica ortodoxa, os padres tampam o nariz e a boca das crianças durante os curtos instantes em que elas são submersas na água benta. Um porta-voz da Igreja moldávia disse não recordar de semelhante episódio na história religiosa do país.

Logo após a imersão na água, o bebê é visto com dificuldades de respirar. Segundo testemunhas, minutos depois a criança começou a espumar pela boca e sangrar pelo nariz. Levado para ser socorrido, o bebê morreu a caminho do hospital. O diagnóstico da morte foi ocorrência de água nos pulmões.

    Leia tudo sobre: moldáviabatismoafogamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG