Barco com grupo judeu tentará entregar ajuda em Gaza

O barco Irene, uma iniciativa organizada pelo grupo Judeus por Justiça para os Palestinos, zarpou neste domingo do Chipre e leva ajuda humanitária para a população de Faixa de Gaza

BBC Brasil |

selo

De acordo com os dez viajantes do Irene, todos eles judeus de diversas cidadanias, inclusive israelenses, o objetivo é romper o bloqueio imposto por Israel a 1,5 milhão de palestinos residentes na Faixa de Gaza e protestar contra a ocupação israelense nos territórios palestinos.

Entre os viajantes está o sobrevivente do Holocausto Reuven Moskovitz, de 82 anos. "Como sobrevivente do Holocausto, o protesto contra a opressão na Faixa de Gaza é sagrado para mim", disse Moskovitz ao site de notícias israelense Ynet.

"Na minha idade é bom passar por uma experiência positiva como esta, ao lado de outros humanistas." O ex-piloto da Força Aérea israelense, Yonatan Shapira, que também está no barco, afirmou que o grupo não tem intenções de se confrontar fisicamente com as tropas israelenses, caso decidam interceptar o barco.

"Mas também não pretendemos ajudá-los a levar o barco para o porto de Ashdod", acrescentou o ex-piloto, se referindo ao porto, no sul de Israel, para o qual a Marinha israelense deverá levar a embarcação, se for interceptada.

Brinquedos e redes

O grupo leva próteses ortopédicas, brinquedos, instrumentos musicais e redes de pesca para a população palestina e calcula que deverá chegar ao porto de Gaza dentro de dois dias. O israelense Rami Elhanan disse à rádio estatal de Israel que decidiu participar do protesto para "chamar a atenção do mundo para o bloqueio desumano que Israel impõe a mais de um milhão de pessoas".

Elhanan perdeu sua filha, Smadar, em um atentado suicida cometido pelo grupo Hamas, em 1997 em Jerusalém. Desde então ele tornou-se membro do Grupo das Famílias Enlutadas, formado por famílias israelenses e palestinas que atuam juntas pela paz entre os dois povos.

O cidadão britânico de origem judaica Richard Cooper, que também está a bordo do Irene, disse ao site de notícias Walla que "não são todos os judeus do mundo que apoiam a política do governo de Israel". De acordo com o Walla, o Exército e a Marinha de Israel estão acompanhando o barco e afirmaram que "estão prontos para qualquer desdobramento".

Bandeira britânica

O barco Irene navega com bandeira britânica e, entre seus tripulantes e viajantes, estão judeus dos Estados Unidos, Grã Bretanha, Alemanha e Israel. De acordo com a imprensa local, o Irene surpreendeu as autoridades israelenses, que não estavam cientes dos planos do grupo.

A iniciativa do grupo Judeus por Justiça para os Palestinos ocorre quatro meses depois que militares israelenses interceptaram a frota de navios turcos que tentava levar ajuda humanitária à Faixa de Gaza no último dia 31 de maio, matando nove ativistas e gerando protestos da comunidade internacional.

Segundo um relatório do Conselho de Direitos Humanos da ONU, divulgado na semana passada, naquele incidente os militares israelenses demonstraram um "nível inaceitável de brutalidade". De acordo com porta-vozes israelenses o objetivo do bloqueio à Faixa de Gaza é impedir a entrada de armas que poderiam ser utilizadas pelo grupo Hamas, que controla a região, para atacar Israel.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG