Assassino que chocou britânicos é acusado de pornografia infantil

Em 1993, Jon Venables, na época com dez anos, matou um menino de dois

BBC Brasil |

selo

Um dos assassinos num dos casos mais polêmicos da Grã-Bretanha, Jon Venables, que, aos dez anos, matou um menino de dois, foi acusado de um novo crime: posse e distribuição de imagens com pornografia infantil.

Venables e o outro condenado à prisão perpétua pelo crime, Robert Thompson, foram libertados em 2001, depois de cumprir pena de oito anos pelo assassinato, em 1993, de James Bulger. O menino foi morto com chutes, pedras e golpes com uma barra de ferro, depois de atraído pela dupla para fora de um shopping center. Em fevereiro, Venables, agora com 27 anos, voltou à prisão por supostamente infringir as regras de sua liberdade convencional.

Na ocasião, não foram revelados detalhes sobre as acusações, com a justificativa de garantir a realização de um julgamento justo. Agora, porém, foi revelada a informação de que Venables teria baixado na internet 57 imagens pornográficas de crianças nos doze meses anteriores sua segunda prisão. Teria também distribuído sete imagens pela web.

O processo, ainda em fase inicial, volta ao tribunal neste dia 23. Na ocasião, Venables poderá admitir ou não a veracidade das acusações. Se alegar inocência, irá a julgamento com seu novo nome, de forma a esconder sua identidade do júri. Se Venables admitir a culpa, o caso pode terminar rapidamente com uma nova sentença. Para preservar sua identidade, a imprensa é proibida de revelar informações que possam ajudar na identificação de Venables.

Liberdade condicional

Depois do assassinato que chocou o país, Venables e Thompson cumpriram pena em instituições separadas antes de ser libertados, em 2001. Criminosos condenados à prisão perpétua na Grã-Bretanha correm o risco, pelo resto da vida, de voltar à prisão, caso ganhem direito à liberdade condicional. Em casos assim, o criminoso pode ser mandado de volta a prisão em três circunstâncias - se cometer um crime, se ele se comportar de modo que provoque suspeitas de que está prestes a cometer um crime ou se violar as regras da condicional.

Segundo as condições impostas na concessão da condicional, os dois assassinos de James Bulger foram proibidos de voltar a se encontrar pelo resto da vida. Também não podem regressar à região do crime - a não ser com autorização prévia, em ocasiões específicas.

    Leia tudo sobre: iGinglaterracrime

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG