Argentino é suspeito de matar seis pessoas em pacto com "santo"

Jovem de 22 anos teria feito promessa a uma entidade religiosa conhecida como "San La Muerte"

BBC Brasil |

selo

Um argentino foi preso sob suspeita de ter matado pelo menos seis pessoas como parte de uma promessa feita a uma entidade religiosa conhecida como "San La Muerte" ("São Morte", em tradução livre). Marcelo Antelo, 22 anos, conhecido como "Marcelito", foi detido em 28 de agosto após um tiroteio no bairro de Bajo Flores, em Buenos Aires.

Antelo teria prometido matar uma pessoa por semana em troca de proteção e prosperidade. A polícia procura um telefone celular no qual o suspeito teria gravado mensagem na qual confessa seu pacto.

Popular

Os seguidores de San La Muerte pedem a ele favores como vencer lutas ou proteger lavouras, mas também requisitam a morte de inimigos.

Segundo o correspondente da BBC em Buenos Aires Daniel Schweimler, a entidade é popular em comunidades pobres do norte da Argentina e entre a população carcerária. Os assassinatos dos quais "Marcelito" é suspeito ocorreram entre fevereiro e agosto deste ano. Uma das vítimas foi queimada a ponto de impossibilitar sua identificação. No entanto, a polícia apura se Antelo foi o autor de outras mortes não esclarecidas.

Ele foi preso após a morte do estudante de Filosofia Rodrigo Ezcurra, 27 anos, em 11 de abril. "Marcelito" também foi acusado formalmente por outro assassinato e por dar um tiro na perna de um homem. De acordo com o correspondente da BBC, os casos atraíram pouca atenção da mídia argentina pelo fato das vítimas se tratarem, na maioria dos casos, de pessoas pobres e moradores de áreas marginalizadas da capital.

    Leia tudo sobre: argentinaassassinato

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG