Antigo centro de tortura é transformado em espaço cultural na Argentina

Antiga Esma, que funcionou até como maternidade clandestina, vira escola de artes que recebe milhares de crianças anualmente

BBC Brasil |

selo

O prédio da Escola Superior da Marinha (Esma), em Buenos Aires, usado durante a ditadura militar como centro de detenção de presos políticos, é atualmente uma escola de artes e centro cultural que recebe milhares de crianças todos os anos.

Entre 1976 e 1983, o local funcionou como uma prisão e também como centro de tortura e até como uma maternidade clandestina, com histórias de mortes de presos e de roubos de bebês das detidas grávidas que chegavam ao local.

Entidades de defesa dos direitos humanos chamaram o lugar de um dos maiores centros de detenção clandestina e de extermínio da última ditadura argentina. Mas, agora, a temida Esma foi transformada em um centro cultural, com museu e escola.

A antiga base militar recebe crianças e adolescentes que visitam o museu instalado no local para aprender sobre a história recente da Argentina, como parte de um projeto da Fundação das Mães da Praça de Maio e do Ministério da Educação.

"O objetivo é transitar em todos os níveis educativos, falar e refletir sobre a memória do país por meio da arte. As crianças se impressionam e perguntam muito sobre os presos políticos", afirmou Verónica Parodi, coordenadora do projeto no museu.

As crianças e adolescentes também podem ter aulas de percussão, teatro, pintura e circo nas salas do antigo centro de tortura. Mas, esse é apenas um dos projetos desenvolvidos na antiga base militar, que foi entregue pelo governo argentino a várias organizações com o objetivo de limpar a imagem sombria que a Esma conquistou há 35 anos, durante a última ditadura militar.

Assista ao vídeo:

    Leia tudo sobre: argentinaesmaditaduragoverno militar

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG