Advogado de iraniana reaparece e pede asilo na Turquia

Metin Corabatir é advogado de Sakineh Mohammadi Ashtiani, que foi condenada à morte por adultério no Irã

BBC Brasil |

selo

O advogado da iraniana condenada à morte por adultério , que estava desaparecido desde o fim do mês passado, reapareceu na Turquia, onde pediu asilo político, informou nesta quarta-feira a agência da ONU para os refugiados em Ancara.

O porta-voz da organização, Metin Corabatir, disse à BBC Brasil que "os canais estão abertos" para que Mohammad Mostafaei peça asilo em território turco, mas avaliou que, em um segundo momento, uma solução definitiva deveria ser buscada "em outro país".

"Estamos tentando refúgio temporário para ele aqui, mas, em um segundo momento, buscaremos uma solução definitiva em outro país", disse o porta-voz. Mostafaei é advogado de defesa da iraniana Sakineh Mohammadi Ashtiani , condenada ao apedrejamento por adultério no Irã.

O caso está ecoando por todo o mundo e agora o Brasil entrou no centro da polêmica depois que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva lhe ofereceu asilo político "se ela estiver causando algum incômodo" no Irã.

Ativistas sugeriram que o Brasil também ofereça asilo ao advogado - uma possibilidade que o porta-voz da ONU não descartou. "O Brasil não é um país em que, tradicionalmente, buscamos soluções para refugiados", disse Corabatir. Entretanto, ressaltou, "existe uma grande demanda por países que possam receber refugiados, e a colaboração de qualquer país é bem-vinda".

Paradeiro

Corabatir disse que Mostafaei está em um centro de detenção em Istambul à espera de uma resposta sobre seu pedido de asilo na Turquia. A Turquia oferece apenas asilo temporário a cidadãos não europeus, por isso a necessidade de encontrar um outro país que possa receber o advogado.

O porta-voz da agência disse que, por questões de segurança, não pode comentar as circunstâncias nas quais o advogado chegou ao país nem quando sua presença foi informada à ONU. Segundo uma reportagem do jornal turco Radikal, Mostafaei foi detido ao entrar no país por causa de um problema com o passaporte. O jornal, entretanto, não deu detalhes sobre que problemas seriam esses.

Cidadãos iranianos não precisam de visto para entrar em território turco. Mostafaei desapareceu após uma sessão de interrogatório na prisão de Evin, em Teerã, no dia 23 de julho. Há relatos de que a esposa dele, Fereshteh Halimi, e seu cunhado, Farhad Halimi, foram presos há uma semana. O sogro do advogado teria sido preso no domingo.

Ativistas de direitos humanos alegam que outros membros da família do advogado também estão sob vigilância das autoridades iranianas. A agência de notícias Associated Press informa que as autoridades turcas contataram diversas embaixadas de países ocidentais para sondar uma possível concessão de asilo permanente. A agência cita um diplomata europeu que pediu para não ser identificado por conta da delicadeza do tema. O Ministério do Interior da Turquia não comentou o caso.

    Leia tudo sobre: irãlulaapedrejamentoahmadinejadbrasilpena de morte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG