Grupo afirmou que atentado a instituição administrada pelas Forças Armadas é represália a operações do Exército na região

BBC

Militantes armados invadiram nesta terça-feira uma escola na cidade de Peshawar, no Afeganistão, e deixaram pelo menos 84 mortos - 80 delas, crianças. Outras dezenas ficaram feridas. Entre os mortos estão ainda professores e um segurança.

Talebã alega que ataque foi represália às recentes operações do Exército paquistanês no Waziristão
BBC
Talebã alega que ataque foi represália às recentes operações do Exército paquistanês no Waziristão

LEIA TAMBÉM:
Paquistanesa recebe Nobel da Paz na Noruega

Segundo as autoridades paquistanesas, cinco ou seis militantes entraram na escola usando uniformes de segurança. Testemunhas disseram ter ouvido explosões e tiros.

O Talebã reivindicou a autoria do ataque, efetuado em represália às recentes operações do Exército paquistanês na região do Waziristão, que inclui Peshawar. Nas últimas semanas, estima-se que essas ações tenham matado centenas de militantes Talebãs.

A escola, a Army Public, é administrada pelas Forças Armadas e tem capacidade para 500 alunos mas, segundo relatos, o nível de segurança no local é relativamente básico: testemunhas disseram que o ataque ocorreu no auditório principal enquanto algumas turmas assistiam a uma demonstração de primeiros-socorros realizada por soldados.

Um porta-voz do Exército disse que maioria dos estudantes tinha sido evacuada e informou que até meados da manhã soldados ainda buscavam militantes.

Em entrevista ao canal paquistanês Geo TV, um funcionário da escola, Mudassir Awan, disse ter visto seis ou sete homens armados invadirem o estabelecimento.

"Assim que o tiroteio começou, corremos para as salas de aula. Eles estava entrando nas sala e batendo nas crianças", disse Awan.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.