Vídeo mostra horror de massacre no Sudão do Sul; EUA veem 'abominação'

Por BBC Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Centenas foram mortos em disputa étnica na semana passada em Bentiu. Corpos são vistos em estradas, mesquitas e igrejas

BBC

A Casa Branca condenou com veemência o massacre de centenas de civis na cidade de Bentiu, no Sudão do Sul, classificando a violência como uma "abominação".

Clique neste link para assistir ao vídeo

AP
Reprodução de vídeo mostra corpos em estrada perto de Bentiu, Sudão do Sul (20/4)

Janeiro: Sudão do Sul e rebeldes assinam cessar-fogo

O massacre, que aconteceu na semana passada, está entre os mais chocantes registrados no país desde que ele passou a ser palco do atual conflito, em dezembro. Corpos são vistos nas estradas, em mesquitas e igrejas, algo que causou indignação internacional.

Enquanto Bentiu tenta se recuperar do incidente, os rebeldes e o governo trocam acusações sobre quem é o responsável.

Em um comunicado, o ministro das Relações Exteriores do Sudão do Sul acusou os rebeldes pelo massacre, mas estes negam responsabilidade e culpam soldados do governo pelas atrocidades.

A missão da ONU no país diz que, como resultado da violência dos últimos dias, está agora protegendo cerca de 22 mil pessoas em sua base em Bentiu, mas enfatiza que nem isso garante sua segurança, pois campos da organização também foram atingidos em ataques recentes.

O conflito está fortemente ligado a questões étnicas e contrapõe o presidente Salva Kiir, do grupo étnico dink, e o ex-vice presidente e líder dos rebeldes, Riek Marchar, do grupo étnico nuer.

A China, um dos principais investidores na indústria petrolífera do Sudão do Sul, também manifestou preocupação com a violência.

O Sudão do Sul é o mais jovem país do mundo, tendo obtido sua independência do Sudão em 2011.

Leia tudo sobre: sudão do suldinknuer

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas