Contra solidão, moradores de rua ganham rádios no Natal na França

Por BBC Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo a associação que realiza esta iniciativa, o objetivo é fazer com que essas pessoas se sintam menos sozinhas

BBC

A associação Les Enfants du Canal, que presta auxílio a moradores de rua, prevê doar 2,5 mil rádios em 35 cidades francesas, como Paris, Lyon, Bordeaux, Toulouse ou Reims.

Conheça a home do Último Segundo

Divulgação / Les Enfants du Canal
De acordo com diretor da associação, a ideia de doar os rádios veio dos próprios moradores de rua

"Além de poder ouvir música ou uma partida esportiva e se informar sobre acontecimentos em geral, o rádio faz companhia, ele representa uma presença e cria laços com a sociedade", disse à BBC Brasil Christophe Louis, diretor da associação.

"O que as pessoas geralmente fazem pela manhã, quando tomam banho ou café ou estão no carro indo para o trabalho? Elas escutam o rádio. Privar os moradores de rua de ouvir notícias ou programas de divertimento é uma forma de exclusão social", diz ele.

"Além de romper o isolamento dessas pessoas, elas também poderão ter acesso à cultura", diz Louis.

Energia solar

Ele afirma que a ideia de doar os rádios surgiu a partir de pedidos dos próprios moradores de rua. Como é difícil para essas pessoas conseguirem pilhas, a associação oferece rádios com bateria movida a energia solar.

Até o momento, a associação, com sede em Paris, conseguiu obter recursos, por meio de doações, para financiar a compra de 1,8 mil rádios. O aparelho custa € 15 (quase R$ 50).

Louis prevê obter nos próximos dias os recursos necessários para atingir a meta de distribuir 2,5 mil rádios nestas festas de fim de ano.

O rádio também permite ter acesso a informações importantes para quem dorme na rua, como as notícias sobre o tempo.

São Paulo: Ensaio de fotógrafo italiano busca dar voz aos viciados da Cracolândia

"Agora eu posso saber se vai chover à noite", disse à rádio francesa RTL o morador de rua Hervé, que recebeu o aparelho de presente de Natal.

"Não é porque moro na rua que estou desconectado do mundo. O rádio é uma presença, me permite passar o tempo e me manter informado. Não tenho cachorro para me fazer companhia. Acordo e ligo o rádio", diz ele.

"Oferecer um rádio pode parecer estranho, considerando-se que 140 mil pessoas não têm casa na França. Mas isso permite mudar o olhar em relação à precariedade dessas pessoas e humanizar a questão dos sem-teto", afirma Christophe Robert, diretor-adjunto da Fundação Abbé Pierre, uma das principais associações na França que prestam auxílio a pessoas carentes.

A Fundação Abbé Pierre também participa da coleta de doações para financiar a compra dos aparelhos.

José, outro morador de rua, prefere ouvir música, que o faz lembrar de sua juventude e dos bailes que frequentava, mas também gosta de se manter informado, disse ele à imprensa francesa.

Passeio no Sena

Famílias de baixa renda também poderão, neste Natal, fazer um programa turístico bastante concorrido em Paris: jantar durante um passeio pelo rio Sena.

A associação Socorro Católico organiza, na noite de 24, um "cruzeiro solidário" pelo Sena: ceia natalina com passeio pelo rio para admirar a cidade. O evento irá reunir 600 pessoas em cinco barcos.

Leia tudo sobre: FrançaNatalrádiomoradoresrua

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas