Parlamento de Uganda aprova projeto de lei contra uso de minissaias

Por BBC Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Proposta 'antipornografia', que proíbe conteúdos sexuais em músicas e vídeos, ainda precisa de sanção presidencial

BBC

Parlamentares de Uganda aprovaram um projeto de lei controverso que proíbe o uso de minissaias no país. A legislação "antipornografia", que também torna proibidos conteúdos notoriamente sexuais em músicas e vídeos, foi colocada em votação após um curto debate.

Conheça a home do Último Segundo

Getty Images
Republicanas em Tampa, Flórida, em 2012. Quando sugeriu projeto de lei, ministro de Uganda disse que mulheres usando vestidos ou saias acima do joelho deveriam ser presas

Projeto de lei: Uganda aprova medida que pune gays com prisão perpétua

Quando Simon Lokodo, o ministro da Ética e da Integridade, sugeriu o projeto de lei neste ano, disse que mulheres usando "qualquer coisa (vestidos ou saias) acima do joelho" deveriam ser presas. O projeto ainda precisa ser aprovado pelo presidente antes de se tornar lei.

Uganda é um país conservador em questões sociais. A nação também aprovou, por exemplo, outro projeto de lei para punir atos homossexuais com a prisão perpétua.

2010: Justiça de Uganda proíbe lista em que gays são identificados

Segundo o jornal Monitor, de Uganda, a nova legislação pode banir materiais que mostram seios, coxas e nádegas ou que mostrem qualquer comportamento erótico que possa causar excitação sexual.

Segundo a correspondente da BBC em Kampala, Catherine Byaruhanga, se a nova lei for aprovada deve prejudicar principalmente os tabloides do país.

Leia tudo sobre: ugandaminissaia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas