Palestinos culpam Israel por possível envenenamento de Yasser Arafat

Por BBC Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Acusação veio após testes clínicos apontarem presença de material radioativo no corpo de ex-líder palestino morto

BBC

Após testes clínicos apontarem a presença de material radioativo no corpo exumado de Yasser Arafat, autoridades palestinas disseram que Israel é o "único suspeito" pela morte do seu ex-líder há nove anos.

Conheça a nova home do Último Segundo

Reuters/Darren Whiteside
Polícia israelense e oficiais de fronteira em frente a uma pintura do falecido líder palestino Yasser Arafat. Cisjordânia, 15 de maio de 2011.

"Israel é o único suspeito no caso de assassinato de Yasser", disse Tawfiq Tirawi, diretor do comitê palestino responsável pela investigação da morte de Arafat. "Vamos continuar a realizar uma investigação completa para descobrir e confirmar todos os detalhes e todos os elementos do caso", acrescentou ele, em uma entrevista coletiva na cidade de Ramallah, na Cisjordânia.

Relatório: Palestino Yasser Arafat pode ter sido envenenado com polônio

Saiba mais: Entenda como se descobriu que Arafat pode ter sido envenenado

Não conclusivo: Indício de envenenamento em Arafat merece investigação

Nesta semana, uma equipe suíça de peritos forenses afirmou que o corpo exumado de Arafat, que morreu em 2004, continha 18 vezes o nível normal do elemento radioativo polônio.

O corpo do ex-líder palestino foi exumado no ano passado, em meio a rumores de que ele teria sido envenenado.

Polônio

Segundo o relatório médico divulgado após sua morte, Arafat morreu de um acidente vascular cerebral (AVC).

Na nova análise, de ossos e fluidos corporais de Arafat, os especialistas dizer ter encontrado "níveis inesperadamente altos" de polônio radioativo, o que embasaria a teoria de que o ex-líder palestino teria sido vítima de um envenenamento.

François Bochud, diretor do Instituto de Física Radioativa do Hospital da Universidade de Lausanne, na Suíça, afirmou na quinta-feira (7) que as provas não são conclusivas.

"Podemos dizer com certeza que o polônio foi a causa da morte do presidente Arafat? Infelizmente para aqueles que querem uma resposta clara e definitiva, essa resposta é não. O que nosso estudo nos permite é levantar uma hipótese de envenenamento por polônio", disse.

O polônio-210 é uma substância altamente radioativa, encontrado em doses baixas em alimentos e produzido naturalmente pelo corpo humano. Porém, em doses altas, a substância pode ser fatal.

Arafat, que liderou a Autoridade Nacional Palestina (ANP) por 35 anos e se tornou o primeiro presidente da instituição em 1996, ficou gravemente doente em outubro de 2004.

Duas semanas mais tarde, ele viajou de seu complexo residencial para um hospital militar em Paris, onde morreu, em 11 de novembro de 2004, aos 75 anos.

Leia tudo sobre: arafatpalestinayasser arafatisraelenvenenamentopolônio

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas