Caso Madeleine: Duas testemunhas teriam dado mesmo nome a suspeito

Por BBC Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo Scotland Yard, divulgação de retrato falado provocou enxurrada de telefonemas e emails

BBC

A polícia britânica que investiga o desaparecimento da menina Madeleine McCann, ocorrido há seis anos durante as férias da família em Portugal, disse que obteve uma "resposta avassaladora" de cidadãos britânicos após a transmissão de um programa de TV com novos detalhes sobre o caso.

Conheça a nova home do Último Segundo

AP
Polícia divulgou retratos falados de suspeitos vistos perto do apartamento da família McCann antes do sumiço de Madeleine

Sequestro planejado: Polícia britânica tem nova pista no sumiço de Madeleine

Na noite de segunda-feira, o programa Crimewatch, da BBC, mostrou uma nova reconstituição dos acontecimentos na noite do desaparecimento e dois retratos falados de um homem que teria "importância vital" nas investigações.

Logo após a transmissão, a Scotland Yard (polícia metropolitana de Londres) recebeu 300 telefonemas e 170 e-mails de pessoas oferecendo alguma contribuição para elucidar o caso. Duas pessoas teriam dado o mesmo nome para o suspeito exibido no retrato falado.

Scotland Yard: Falar com homem de retrato falado é de "vital importância"

A polícia disse que a reação foi bastante positiva. "Nós estamos extremamente satisfeitos com a resposta ao apelo feito pelo Crimewatch", disse o detetive Andy Redwood, da Scotland Yard. "Recebemos ligações de algumas pessoas que estavam no resort na época, o que confirma, para mim, a importância do que estamos fazendo agora."

Nova linha

Madeleine é natural da cidade de Rothley, na região central da Inglaterra. Aos três anos de idade, quando estava passando férias com sua família na Praia da Luz, em Portugal, ela desapareceu. O episódio ocorreu no dia 3 de maio de 2007.

Madeleine, seu irmão e sua irmã estavam dormindo no apartamento da família, enquanto os pais jantavam em um restaurante nas proximidades. A mãe de Madeleine passou no apartamento às 21h05. No entanto, às 22h, quando voltou, Madeleine havia desaparecido.

BBC
Madeleine, em foto tirada na época do desaparecimento

Polícia: 'Versão dos acontecimentos no caso Madeleine mudou'

Rastreamento: Celulares podem ser nova chave para caso Madeleine 

O caso teve enorme repercussão dentro e fora do Reino Unido, graças à extensa cobertura da imprensa britânica e à campanha dos pais de Madeleine, que chegaram a conseguir apoio do premiê britânico, David Cameron, para reabrir as investigações. Um inquérito promovido na época pela polícia portuguesa não chegou a conclusões sobre o caso.

A nova linha de investigação adotada pela Scotland Yard é a de que Madeleine foi vítima de um elaborado plano de sequestro. Os policiais estão focando seu trabalho em homens que foram vistos perto do apartamento onde a menina desapareceu.

Inicialmente, eles suspeitaram que um homem visto às 21h15 poderia ser o sequestrador de Madeleine. No entanto, o depoimento de uma amiga da família, Jane Tanner, revelou que o homem estava apenas buscando a sua própria filha em uma creche perto do apartamento.

Em 2012: Missa marca 5 anos de caso Madeleine, em meio a pressões

"Estamos quase certos de que o homem visto por Jane Tanner não é o sequestrador de Madeleine", disse Redwood.

O principal suspeito agora é outro homem, que foi visto às 22h junto com outra criança. Os retratos falados divulgados pela polícia são deste homem. Segundo testemunhas, a criança loira, de três ou quatro anos, estava vestindo pijama – uma descrição que fecha com a de Madeleine.

Redwood disse que o homem poderia ser o sequestrador da menina. No entanto, ele não descarta que possa haver outra explicação que o inocente. O repórter da BBC Danny Shaw diz que o trabalho da Scotland Yard levanta dúvidas importantes sobre a condução das investigações na época.

"As perguntas sobre por que foram necessários seis anos para se chegar ao fundo do testemunho de Tanner e por que um retrato falado do suspeito das 22h compilado há cinco anos só surgiu agora são desconfortáveis – e provavelmente precisam ser respondidas pelas autoridades portuguesas, que conduziram a investigação original", diz Shaw.

Os pais de Madeleine, Kate e Gerry McCann, que chegaram a ser considerados suspeitos do desaparecimento da própria filha pela polícia portuguesa na primeira investigação, se disseram "esperançosos e otimistas" com as novas linhas de investigação.

Leia tudo sobre: madeleinemadeleine mccannpolíciareino unidoportugalalgarve

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas