Justiça da Malásia proíbe que não muçulmanos se refiram a Deus como 'Alá'

Por BBC Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Malaios de diferentes crenças costumam chamar seu Deus de Alá; cristãos afirmam que usam a palavra há séculos

BBC

Um tribunal na Malásia decidiu nesta segunda-feira (14) que não muçulmanos estão proibidos de usar a palavra Alá para se referir a Deus, até mesmo dentro do contexto de suas próprias religiões.

Conheça a nova home do Último Segundo

AP
Manifestantes muçulmanos rezam do lado de fora da Corte de Apelação em Putrajaya, em Kuala Lumpur, Malásia (13/10)

A decisão tomada nesta segunda reverte a de outra instância inferior, tomada em 2009. Na Malásia, muitos habitantes de diferentes crenças chamam o seu Deus de Alá. Os cristãos argumentam que têm usado a palavra Alá há séculos.

Em 2010: Igrejas católicas atacadas na Malásia depois da polêmica sobre 'Alá'

A primeira decisão sobre o assunto, de 2009, provocou tensão entre as diferentes religiões. O caso foi à Justiça depois que o governo determinou que o jornal católico The Herald não poderia usar "Alá" para se referir ao Deus cristão.

O processo foi vencido na primeira instância pelo jornal, mas a decisão foi revertida agora. "O uso da palavra Alá não é parte integral da fé no Cristianismo. O uso da palavra vai provocar confusão na comunidade", disse o juiz Mohamed Apandi Ali, responsável pela sentença.

Maio: Coalizão governista vence na Malásia e estende seus 56 anos no poder

2012: Ex-vicê premiê da Malásia é absolvido de acusação de sodomia

O editor do jornal The Herald, Lawrence Andrew, se disse "decepcionado e surpreso" com a decisão. Ele prometeu recorrer. "É um passo para trás no desenvolvimento de uma lei em relação à liberdade fundamental de minorias religiosas", disse Andrew.

Os simpatizantes do jornal lembram que muitas traduções da Bíblia para a língua malaia usam a palavra "Alá" em referência ao Deus cristão.

Para alguns grupos islâmicos, a palavra "Alá" pode ser usada para tentar converter muçulmanos ao cristianismo. "'Alá' não é uma palavra malaia. Se eles, os não muçulmanos, querem usar uma palavra malaia (para se referir a Deus), eles deveriam usar 'Tuhan' em vez de 'Alá'", disse à BBC o advogado que representa o governo no caso.

Alguns malaios acreditam que o partido do governo, de inclinação islâmica, está usando a polêmica para ganhar votos entre os muçulmanos. A religião é seguida por quase dois terços da população. Também há grandes concentrações de hindus e cristãos.

Leia tudo sobre: malásiaaláreligiãoislamismomuçulmanoscristianismodeusjustiça

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas