Governo vê 'golpe elétrico' da oposição em apagão na Venezuela

Por BBC Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Presidente Nicolás Maduro culpou oposição por falha que parou metrô e deixou 70% do país sem energia elétrica

BBC

Um apagão deixou 70% da Venezuela sem eletricidade na terça-feira (3), incluindo partes da capital Caracas. A queda de energia desligou semáforos e sinalizações de rua, provocando transtornos no tráfego. O sistema de metrô também foi parcialmente paralisado.

Escassez: Carros usados saem mais caros que novos na Venezuela

Reuters
Segurança caminha enquanto espera retorno da eletricidade após um apagão durante jogo de basquete entre Paraguai e República Dominicana em Caracas (3/9)

Smartphone: Venezuelano cria aplicativo que 'encontra' papel higiênico

Milhares de trabalhadores foram mandados para casa. Apagões são comuns em partes da Venezuela, mas raramente afetam a capital Caracas. O vice-ministro da Energia, Franco Silva, disse que a causa do problema foi uma falha no sistema de transmissão.

O ministro da Energia, Jesse Chacon, pediu desculpas aos venezuelanos e pediu calma. O presidente Nicolás Maduro culpou a oposição pelo apagão. "Tudo parece indicar que a extrema-direita retomou seu plano de realizar um golpe elétrico contra o país", afirmou no Twitter.

Assista ao vídeo sobre o apagão na Venezuela:

Prateleiras vazias: Estado estuda sistema para limitar compra de alimentos

Economia: Crise ameaça deixar Igreja sem vinho e hóstia na Venezuela

Mas críticos do governo afirmam que o apagão expõe a falta de investimentos e de infraestrutura no setor de energia.

A indústria petrolífera não foi afetada pela queda de energia, porque as refinarias venezuelanas são supridas por usinas que operam de forma independente.

Apesar de a Venezuela ter grandes reservas de petróleo, o país depende das hidrelétricas, responsáveis por 64% da produção de energia.

Leia tudo sobre: venezuelaapagãoeletricidademadurooposição

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas