Pitbulls usados em rinha são resgatados em Estados dos EUA

Por BBC Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Autoridades encontraram animais maltratados na Geórgia e Alabama; 12 pessoas envolvidas no caso foram presas

BBC

A polícia americana resgatou mais de 360 cães da raça pitbull terrier - incluindo filhotes - e prendeu 12 pessoas envolvidas com a organização de rinhas de cachorros. As autoridades encontraram os animais maltratados e mal alimentados na sexta-feira em locais nos Estados do Alabama e da Geórgia.

AP
Filhotes são levados por oficial em casa em Auburn, Alabama (23/8). Total de 367 cães da raça pitbull terrier foi resgatado no Alabama e Geórgia

Também foram recuperados US$ 500 mil (o equivalente a quase R$ 1,2 milhão), dinheiro supostamente recebido de apostas. O advogado americano George Beck, que acompanhou o caso como observador, confirmou que apostas em apenas uma das lutas entre cães podem ter arrecadado o valor de US$ 200 mil (quase R$ 480 mil).

Os acusados podem ser penalizados por apostas ilegais e luta entre animais, que são considerados crimes federais nos EUA.

Advogados estabelecidos pela corte para defender os 12 envolvidos no crime afirmaram à agência de notícias Associated Press que pedirão a absolvição de seus clientes.

Beck disse também que o número de cães resgatados no caso "mostra como esse mundo ilegal de luta de cães é extenso".

"Acredito que se Dante (poeta e escritor italiano da idade média) estivesse vivo e reescrevesse Inferno (parte do livro 'A Divina Comédia') ele teria reservado os piores lugares para aqueles que cometem crueldade contra nossos animais e crianças", afirmou em coletiva na segunda-feira.

O chefe da polícia atuando no caso, David Sutton, do Estado do Alabama, disse que os cachorros em uma das casa estavam cobertos por parasitas e acorrentados a pesadas peças de carro.

Outros oficiais confirmaram, ainda, que os pitbulls estava tão mal nutridos que suas costelas estavam bem salientes, além de possuírem cortes, sendo necessário atendimento veterinário de emergência. 

"Estes animais não podem falar como você e eu", ressaltou Sutton. "Nós escolhemos falar por eles e acredito que estamos trazendo essa mensagem a todos. Se você comete (esse) crime, nós iremos atrás de você".

Representantes da Sociedade Americana de Prevenção à Crueldade contra Animais e da Sociedade Humana dos EUA confirmaram que estão cuidando dos animais. Os cães serão mantidos nas instituições para serem utilizados como evidência durante os julgamentos, mas serão doados no futuro.

Leia tudo sobre: rinhas de cachorropitbull terriercãescachorroeua

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas