Ruas do Egito ficam desertas após repressão sangrenta; assista

Por BBC Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

No Cairo, capital egípcia, últimos bastiões da Irmandade Muçulmana ficaram em chamas após horas de confrontos

BBC

As ruas das principais cidades do Egito estavam praticamente desertas na noite de quarta-feira (14) por causa do toque de recolher imposto pelo governo. No Cairo, os últimos bastiões da Irmandade Muçulmana estavam em chamas após horas de confrontos sangrentos com a polícia.

Início: Polícia avança contra acampamentos pró-Morsi e violência se alastra

Medida: Egito declara um mês de estado de emergência

Em pronunciamento de televisão em cadeia nacional, o primeiro-ministro interino, Hazem Beblawi, lamentou as mortes e pediu a cooperação de todos os egípcios para o estabelecimento de um Estado civil.

Um membro da Irmandade Muculmana, grupo político do presidente deposto Mohammed Morsi, diz que o golpe militar falhou e que os responsáveis "serão julgados em um tribunal de guerra por arrastar o pais para uma guerra civil".

Assista ao vídeo: 


Leia tudo sobre: queda de morsimorsiegitocairoalexandriamundo árabeprimavera árabe

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas