Estudante abandonado em prisão dos EUA recebe indenização de US$ 4 milhões

Por BBC Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Daniel Chong foi detido durante operação antidrogas, e ficou quatro dias em cela sem janelas, água ou comida

BBC

Um estudante universitário da cidade de San Diego, nos EUA, recebeu uma indenização de US$ 4 milhões (R$ 9 milhões) do governo americano após ter sido abandonado durante quatro dias em uma cela fechada de uma prisão.

Leia mais: Prisão ao ar livre obriga detentos a usar cuecas rosas no Arizona

AP
Daniel Chong tomou a própria urina para sobreviver em cela nos EUA

Leia mais: Juiz autoriza mudança de sexo de prisioneiro que matou esposa

Ele foi detido com outras nove pessoas durante uma operação antidrogas em abril de 2012, comandada pela Drug Enforcement Administration (DEA), a agência do governo americano responsável pela repressão e controle de narcóticos.

Segundo um de seus advogados, Daniel teria sido informado de que não seria indiciado e que um policial teria dito que voltaria "logo depois". Mas, provavelmente por acidente, acabou esquecendo o estudante durante quatro dias em uma cela sem janelas, água ou comida.

NYT: Ex-prisioneiro de Guantánamo recomeça sua vida com raiva silenciosa

Leia mais: Ex-prisioneiro chinês de Guantánamo vira pizzaiolo na Albânia

Daniel Chong contou ter bebido a própria urina para sobreviver e sofreu alucinações, segundo informações do Los Angeles Times. Temendo morrer, ele chegou a usar um estilhaço de seus óculos para escrever uma mensagem de despedida para a sua mãe no braço, dizendo "desculpe, mãe".

Acidente terrível

O Departamento de Justiça americano está investigando o caso. O estudante disse ter passado um cadarço de seu sapato por baixo da porta na tentativa de chamar a atenção, mas só dias depois foi encontrado por cinco ou seis pessoas coberto de suas próprias fezes.

Depois de ser resgatado, Chong passou cinco dias no hospital se recuperando de desidratação, falência dos rins, cólicas e de uma perfuração no esôfago. "Parece que foi um acidente. Um acidente terrível", disse Chong.

Em maio, o DEA divulgou um pedido de desculpas, dizendo que a instituição estava "profundamente incomodada" com o incidente. Ainda segundo o advogado do estudante, desde o caso envolvendo seu cliente, a DEA vem implementando reformas em suas regras de detenção.

Leia tudo sobre: euaprisãosan diegoantidrogas

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas