Sobrevivente relata que vagões de trem rolaram várias vezes na Espanha; assista

Por BBC Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Testemunhas lembram velocidade do trem e desolação após descarrilamento em Santiago de Compostela

BBC

Testemunhas do acidente de trem que deixou dezenas de mortos na quarta-feira na Espanha lembraram da alta velocidade da composição e descreveram um cenário desolador logo depois da tragédia, com vários corpos e incêndio nos destroços. Um dos sobreviventes disse que o acidente aconteceu de repente e que os vagões rolaram várias vezes.

Quarta: Trem descarrila em Santiago de Compostela, na Espanha

AP
Primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy (E), caminha perto de vagão descarrilado em local de acidente de trem na Espanha

Tragédia: Sobe número de mortos em acidente de trem na Espanha

O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, declarou três dias de luto nacional por causa do acidente de trem, um dos piores da história do país. Além dos mortos, há mais de 130 feridos, muitas em estado grave.

A composição fazia o percurso entre Madri e Ferrol, na costa da Galícia, quando descarrilou ao entrar em uma curva nas proximidades de Santiago de Compostela na quarta-feira. A Companhia Nacional de Transporte Ferroviário da Espanha (Renfe) afirmou que o trem passou uma inspeção técnica na quarta.

Antes de acidente de trem: 'Vou a 190 km/h!', disse maquinista

Assista: Vídeo mostra momento em que trem descarrila na Espanha

Leia abaixo os depoimentos de três pessoas que estavam na composição e outras duas testemunhas que foram à cena do acidente pouco depois que ele aconteceu.

Assista ao vídeo sobre o acidente: 

Sergio Prego, passageiro que viajava no trem

"O trem ia a uma velocidade muito alta e, na curva, saiu dos trilhos e tombou. Nós tivemos muita sorte de poder sair do trem vivos", afirmou à rede de rádio espanhola SER. "Quanto às vítimas... Não faço ideia, mas deve haver muitas", acrescentou.

Guillermo, também passageiro

“Ela descarrilou quando estava na curva. Tive muita sorte de ter sobrevivido. Foi um desastre. Eu não sei quantos morreram, mas foram muitos.”

Ricardo Montesco, passageiro

"Muita gente estava presa na parte inferior (de um dos vagões). Conseguimos nos libertar para sair do vagão (...) e então percebemos que o trem estava se incendiando." "Eu estava no segundo vagão e havia fogo... e vi cadáveres", acrescentou.

Francisco Otero, vizinho do local do acidente

"A primeira coisa que vi foi o corpo de uma mulher. Nunca tinha visto um cadáver. Meus vizinhos foram ajudar as pessoas que estavam presas dentro dos vagões e, eventualmente, conseguiram tirá-los com uma serra. Era irreal", disse Francisco, que mora perto do local onde o trem descarrilou e afirmou que ouviu um estrondo que parecia com um terremoto no momento do acidente.

Fernando Becerra, vizinho do local do acidente

"Quando saí de casa, (o ar) já cheirava a queimado. Me deixei levar pelo cheiro e cheguei ao acidente", disse à BBC Mundo Becerra, que trabalha em uma rádio local e mora a um quilômetro do local do acidente.

Saiba mais: Leia todas as notícias sobre o acidente na Espanha

Policiais fazem guarda enquanto condutor Francisco José Garzón Amo deixa o tribunal após sua libertação em Santiago de Compostela (28/7). Foto: APParte externa do trem é vista no local do acidente em Santiago de Compostela, noroeste da Espanha (26/7). Foto: ReutersParentes de vítimas de acidente de trem em Santiago de Compostela, na Espanha, reagem ao receber notícias (25/7). Foto: APBombeiros e equipes de resgate inspecionam vagão no local de acidente de trem em Santiago de Compostela, Espanha. Foto: APVagões descarrilados são removidos com guindastes dos trilhos em Santiago de Compostela, Espanha (25/7). Foto: APMulher reage em posto de informações para familiares montado após acidente de trem em Santiago de Compostela, Espanha. Foto: APPrimeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, visita local de acidente de trem em Santiago de Compostela, Espanha (25/7). Foto: APCondutor do trem Francisco José Garzón Amo recebe ajuda de dois homens ao ser retirado do local do acidente de trem em Santiago de Compostela, Espanha (24/7). Foto: APEquipes respondem à situação de emergência após descarrilamento de trem em Santiago de Compostela, Espanha (24/7). Foto: APFerida é retira de vagão após acidente de trem em Santiago de Compostela, Espanha (24/7). Foto: APEquipes de emergência atendem vítimas de descarrilamento de trem em Santiago de Compostela, na Espanha (24/7). Foto: APDescarrilamento de trem em Santiago de Compostela é o pior acidente do tipo em 40 anos (24/7). Foto: APEquipes respondem à situação de emergência após descarrilamento de trem em Santiago de Compostela, Espanha (24/7). Foto: APEquipes de emergência comparecem a local onde trem descarrilou em Santiago de Compostela, Espanha (24/7). Foto: APEquipes de emergência atendem vítimas de descarrilamento de trem em Santiago de Compostela, na Espanha (24/7). Foto: APAcidente de trem em Santiago de Compostela, Espanha, deixou mortos e dezenas de feridos (24/7). Foto: Alén Pérez/ TwitterEquipes de resgate trabalham para retirar vítimas de um trem após descarrilamento em Santiago de Compostela, Espanha (24/7). Foto: ReutersTrem descarrila em Santiago de Compostela, na Espanha (24/7). Foto: Alén Pérez/ TwitterO trem, que levava ao menos 240 passageiros, descarrilou na curva mais fechada do trajeto (24/7). Foto: Alén Pérez/TwitterImagem reproduzida de vídeo mostra vagões destruídos após acidente de trem em Santiago de Compostela, Espanha (24/7). Foto: Reprodução

Excesso de velocidade: Condutor de trem é investigado após acidente

Às 21h05 da noite de quarta-feira, recebeu um telefonema avisando sobre o acidente perto de casa. Ele então pegou o carro e seguiu para o local, levando apenas entre dez e 15 minutos para chegar. "A primeira imagem que tive era de três cadáveres cobertos fora dos trilhos", disse.

Ao andar pelo local, ele encontrou mais corpos e acredita que viu entre oito e nove. O local onde aconteceu o acidente fica na periferia da cidade, segundo o jornalista.

Outro ponto que chamou a atenção foi a organização rápida dos vizinhos para ajudar os feridos. "As forças de segurança estavam desesperadas. Pediam mantas, água, tábuas de madeira (para retirar os feridos) e a resposta (dos vizinhos) foi imediata."

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas