Conheça os aliados que ajudam Snowden a decidir seu futuro

Por BBC Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Ex-técnico da CIA recebe aconselhamento jurídico e apoio de grupo que vai desde advogado até uma ex-espiã russa

BBC

Edward Snowden, o ex-técnico da CIA que vazou informações sobre programas secretos de monitoramento dos EUA está recebendo aconselhamento jurídico e apoio de um grupo eclético, que vai desde um advogado constitucionalista até uma ex-espiã russa.

Depois de vazar as informações da NSA (Agência Nacional de Segurança americana), Snowden ainda está em fuga e, desde que chegou a Moscou no dia 23 de junho, se encontra em uma espécie de limbo jurídico.

No Brasil: Senado terá CPI para investigar denúncia de espionagem dos EUA

AP
Julian Assange, fundador do WikiLeaks, fala a partir de varanda na Embaixada do Equador em Londres (20/12)

Asilo: Como Snowden, delator dos EUA, poderia chegar até Caracas?

Destino: Edward Snowden abandona planos de permanecer na Rússia

O presidente russo, Vladimir Putin, afirmou que iria conceder asilo a Snowden na Rússia se ele concordasse em parar de divulgar informações secretas dos EUA.

Por enquanto, o ex-técnico da CIA já pediu asilo em pelo menos 19 países, incluindo o Brasil. Snowden está analisando suas opções, e a Venezuela é uma possibilidade de destino para ele. Abaixo, a BBC lista os especialistas jurídicos e ativistas que estão ajudando o americano a tomar uma decisão.

Julian Assange

Título: fundador WikiLeaks.
Relação com Snowden: fornece conselhos e apoio.
Onde pode ser encontrado: embaixada do Equador em Londres, onde buscou asilo para evitar a extradição depois de ser acusado de crimes sexuais cometidos na Suécia.
Natural de: Townsville, Austrália.
Educação: Universidade de Melbourne, onde estudou matemática e física.
Destaques profissionais: se intitula engenheiro criptográfico e disse a um repórter da revista Timeque ele estabeleceu na Austrália "um dos primeiros serviços de provedores de internet baseados na liberdade de expressão". Fundou o WikiLeaks em 2006.
O que lê: criticou o livro The New Digital Age, de Eric Schmidt e Jared Cohen, do Google, em uma análise no New York Times afirmando que o livro "reflete os tabus e obsessões do Departamento de Estado" dos Estados Unidos.
Rede social: entre seus fãs estão Lady Gaga, Oliver Stone e Vivienne Westwood. Ele já namorou - e ainda pode estar namorando - uma integrante da equipe jurídica do WikiLeaks, Sarah Harrison.
O que declarou sobre o caso de Snowden: "É um herói. Ele disse às pessoas do mundo e dos EUA que existe uma gigantesca interceptação ilegal de suas comunicações, muito além de tudo que aconteceu no (governo de Richard) Nixon".

Bruce Fein

Título: advogado especialista em direito constitucional.
Relação com Snowden: advogado do pai de Edward, Lonnie Snowden.
Onde pode ser encontrado: Washington.
Educação: Escola de Direito da Universidade de Harvard.
Destaques profissionais: vice-secretário de Justiça adjunto durante o governo de Ronald Reagan.
O que lê: O Mercador de Veneza, de William Shakespeare.
Rede social: assessor de políticas para a campanha presidencial de Ron Paul em 2012.
O que declarou sobre o caso de Snowden: "O propósito de me contratar não foi simplesmente para (Lonnie Snowden) ter o filho dele de volta. Também foi (algo como) 'o que podemos fazer para nos afastar do precipício de um Estado-Leviatã onde nada mais é particular e que opera com o tipo de segredo que associamos à China e à Rússia?'".

Reuters
O juiz espanhol Baltasar Garzón, que tentou extraditar Augusto Pinochet, sentado durante o início de seu julgamento na Suprema Corte de Madri

Baltasar Garzón

Título: diretor jurídico do WikiLeaks.
Relação com Snowden: se negou a servir oficialmente como advogado do americano, no entanto o ajudou a fazer os planos do ex-técnico da CIA para o futuro.
Onde pode ser encontrado: Madri.
Natural de: Andaluzia, Espanha.
Educação: Seminário e, depois, escola de direito.
Destaques profissionais: como juiz na Espanha, Garzón emitiu o mandado de prisão para o ex-líder chileno general Augusto Pinochet. Em 2012 ele foi suspenso do Judiciário por mais de uma década depois de ser considerado culpado de abuso de poder por ordenar escutas telefônicas ilegais de advogados.
O que lê: Jean-Paul Sartre.
O que declarou sobre o caso de Snowden: "A equipe jurídica do WikiLeaks e eu estamos interessados em garantir os direitos de Snowden e protegê-lo como pessoa".

Sarah Harrison

Título: integrante da equipe jurídica do WikiLeaks.
Relação com Snowden: fornece aconselhamento a respeito de asilo.
Onde pode ser encontrada: na área de trânsito do aeroporto Sheremetyevo, em Moscou.
Educação: Queen Mary, Universidade de Londres.
Destaques profissionais: ex-estagiária e pesquisadora em jornalismo. Começou a trabalhar para WikiLeaks em 2010.
O que lê: os arquivos do WikiLeaks sobre a Síria, segundo uma apresentação que fez no Frontline Club, de Londres, em julho de 2012.
Rede social: passa tempo com Assange e pagou cerca de US$ 5,2 mil (quase R$ 11,8 mil) de fiança para ele antes do refúgio na embaixada do Equador.

Michael Ratner

Título: advogado de Julian Assange e do WikiLeaks.
Onde pode ser encontrado: Nova York.
Educação: Escola de Direito de Columbia.
Destaques profissionais: presidente emérito do Centro para os Direitos Constitucionais, que prestou assistência nos casos do detidos em Guantánamo e processou autoridades do governo de George W. Bush devido às políticas de interrogatório de detidos.
O que lê: O Conde de Monte Cristo, de Alexandre Dumas, que é sobre "um homem que foi preso sem razão, saiu da prisão e se vingou", de acordo com as declarações de Ratner a um jornalista do New York Times.
Rede social: Daniel Ellsberg, ex-funcionário do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, que revelou documentos secretos que revelavam manipulação de informações por parte do governo do país durante a Guerra do Vietnã, e o falecido William Junstler, um advogado que representou radicais na década de 60 como Jerry Rubin, Tom Hayden e Abbie Hoffman.

Estes especialistas jurídicos e ativistas não são os únicos que tentam ajudar Snowden. Ele também recebeu apoio de muitas pessoas do mundo todo.

Entre elas está a russa Anna Chapman, expulsa dos Estados Unidos sob acusação de espionagem e mandada de volta à Rússia, que expressou sua admiração por Snowden no Twitter. "Snowden, casa comigo?", perguntou Chapman.

© AP
Nesta foto, a acusada de espionagem Anna Chapman aparece em Moscou, capital da Rússia


Leia tudo sobre: snowdenregistros da verizonregistros da internetfisansa

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas