Cães eram enviados do México para a Itália e depois sacrificados; julgamento de suspeitos será em outubro

BBC

Uma gangue latino-americana desbaratada na Itália está sendo acusada de usar cachorros para traficar cocaína do México e depois sacrificá-los para retirar a droga de seus estômagos.

Leia mais: Saiba mais sobre o problema do tráfico de drogas no México

Cães da raça Dogue de Bordeaux era usada por traficantes de cocaína
Getty Images
Cães da raça Dogue de Bordeaux era usada por traficantes de cocaína

Segundo as investigações, um veterinário forçava os cães a engolir pacotes da droga para depois embarcá-los em um voo para Milão.

Grupos de defesa dos direitos dos animais criticaram a ação dos traficantes e acreditam que muitos cães teriam chegado mortos à Itália, já que um pequeno vazamento de cocaína seria suficiente para matá-los.

Mais: Polícia de El Salvador encontra barril com US$ 9 milhões

Acredita-se que os 49 suspeitos, que teriam idades de entre 19 e 37 anos, fariam parte de uma gangue de tráfico de drogas conhecida como "pandillas".

O juiz italiano Fabrizio D'Arcangelo acredita que o grupo armado, desbaratado em março, estaria envolvido em vários crimes em Milão e arredores. Os homens, de nacionalidade equatoriana, peruana e salvadorenha, serão julgados em outubro, na Itália.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.