Gangue latino-americana fazia cães engolirem cocaína para tráfico

Por BBC Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Cães eram enviados do México para a Itália e depois sacrificados; julgamento de suspeitos será em outubro

BBC

Uma gangue latino-americana desbaratada na Itália está sendo acusada de usar cachorros para traficar cocaína do México e depois sacrificá-los para retirar a droga de seus estômagos.

Leia mais: Saiba mais sobre o problema do tráfico de drogas no México

Getty Images
Cães da raça Dogue de Bordeaux era usada por traficantes de cocaína

Segundo as investigações, um veterinário forçava os cães a engolir pacotes da droga para depois embarcá-los em um voo para Milão.

Grupos de defesa dos direitos dos animais criticaram a ação dos traficantes e acreditam que muitos cães teriam chegado mortos à Itália, já que um pequeno vazamento de cocaína seria suficiente para matá-los.

Mais: Polícia de El Salvador encontra barril com US$ 9 milhões

Acredita-se que os 49 suspeitos, que teriam idades de entre 19 e 37 anos, fariam parte de uma gangue de tráfico de drogas conhecida como "pandillas".

O juiz italiano Fabrizio D'Arcangelo acredita que o grupo armado, desbaratado em março, estaria envolvido em vários crimes em Milão e arredores. Os homens, de nacionalidade equatoriana, peruana e salvadorenha, serão julgados em outubro, na Itália.

Leia tudo sobre: drogastráfico de drogascocaínacachorrocão

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas