Homem liga para a polícia britânica e reclama de prostituta 'feia'

Por BBC Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Homem pediu que a mulher fosse investigada por propaganda 'enganosa'; ele foi repreendido por sargento por atitude

BBC

Um homem foi repreendido pela polícia britânica após ligar para o serviço de emergência para reclamar da feiura de uma prostituta. A polícia do condado de West Midlands, no centro da Inglaterra, informou ter recebido a ligação de um homem, na noite de terça-feira (11), querendo denunciar a mulher por ter feito propaganda enganosa a respeito de sua aparência.

Leia também: Funcionários da embaixada agridem prostituta e são punidos

Saiba mais: Pôsteres tentam profissionalizar imagem de prostitutas na Irlanda

Ele teria dito aos policiais que a prostituta, com quem se encontrou no estacionamento de um hotel, não era tão atraente como havia dito no telefone e que deveria ser investigada por quebrar o "Sale of Goods Act" (Lei de Venda de Bens, em tradução livre), que dá ao consumidor diretos legais, estipulando que bens vendidos devem ser de boa qualidade e se encaixar na descrição dos vendedores.

"Quando ele reclamou com a mulher, ela teria pego as chaves do carro, saído correndo e depois jogado as chaves em cima dele", disse a polícia, que escreveu uma carta de advertência ao homem dizendo que ele não deveria desperdiçar o tempo da força policial.

Inacreditável

Na ligação para a polícia, o homem explicou que teria pedido à mulher que fizesse uma descrição honesta de sua aparência para que não tivesse que dispensá-la depois. "Basicamente, ela não tinha feito uma descrição verdadeira e ficou com raiva (depois), porque, obviamente, acha que eu devo a ela alguma coisa", disse o homem à polícia.

Na Alemanha: Cidade instala parquímetro para cobrar imposto de prostitutas

O sargento Jerome Moran, baseado na delegacia de Solyhull, ligou de volta ao homem para lhe dar conselhos. "Foi inacreditável. Ele realmente acreditava que não havia feito nada de errado e que a mulher deveria ser investigada pela polícia", disse Moran.

"Eu lhe disse que ela não cometeu nenhuma ofensa e que, de fato, suas ações ao solicitar sexo é que eram ilegais."

Leia tudo sobre: prostitutaprostituiçãoreino unidopolícia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas