Protestos preocupam polícia em funeral de Margaret Thatcher

Por BBC Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Comitê com representantes do governo, serviço secreto e família real se reunirá diariamente para organizar cerimônia e garantir que ela transcorra sem problemas na próxima quarta

BBC

Diante da ameaça de protestos, um comitê composto por representantes do governo, da polícia, do serviço secreto MI5 e da família real se reunirá diariamente para organizar o esquema de segurança do funeral da ex-primeira-ministra Margaret Thatcher, que faleceu na segunda-feira, aos 87 anos, vítima de um derrame.

A polícia ainda não divulgou o número de oficiais que farão a segurança do cortejo fúnebre que levará o caixão de Thatcher pelas ruas de Londres, de Westminster até a Catedral St. Paul, no centro da cidade, na próxima quarta-feira, dia 17.

Despedida: Funeral de Margaret Thatcher será em 17 de abril em Londres

Leia todas as notícias sobre a morte de Margaret Thatcher

AP
Pichação em muro em Belfast, norte da Irlanda, afirma: 'Apodreça no inferno, Maggie Thatcher'

Obituário: Morre aos 87 anos a ex-premiê britânica Margaret Thatcher

Análise: Estado mínimo e recuperação britânica marcam legado econômico de Thatcher

O trânsito ficará interrompido ao longo de todo o trajeto, que será acompanho por militares das três Forças Armadas, entre os quais militares da reserva que lutaram durante a Guerra das Malvinas, na década de 80.

De acordo com o diário britânico The Guardian, um dos focos da operação policial - que estará sob comando do comandante David Martin, chefe da Unidade de Ordem Pública da Polícia Metropolitana de Londres - será conter potenciais ameaças de dissidentes republicanos irlandeses e de simpatizantes da extrema-esquerda.

Legado: Admirada e criticada, Margaret Thatcher transformou Reino Unido

Em outubro de 1984, o Exército Republicano Irlandês (IRA) detonou uma bomba em uma conferência do Partido Conservador em Brighton, deixando quatro mortos e dezenas de feridos. A premiê, que era alvo do ataque, escapou por pouco.

A Polícia Metropolitana de Londres fez um apelo para que grupos que estejam planejando manifestações no dia do funeral entrem em contato para garantir que o direito de protestar seja respeitado bem como o direito dos que prestarão a última homenagem à polêmica ex-premiê.

Galeria de fotos: Relembre a trajetória de Margaret Thatcher em imagens

Brasil: Dilma lamenta morte da ex-premiê britânica Margareth Thatcher

Segundo o jornal The Independent, policiais estão monitorando sites de mídia social e fóruns na internet com o objetivo de descobrir se há planos por parte de manifestantes de usar o dia do funeral para protestar contra o legado de Thatcher.

Nos últimos dias, forças policiais foram acionadas em várias partes do país para conter manifestações e "festas" em comemoração à morte da ex-premiê, que até hoje divide opiniões em todas as esferas da sociedade britânica por ter implementado uma série de reformas políticas e econômicas polêmicas durante seus três mandatos, entre 1979 e 1990.

Protestos foram registrados em Brixton, bairro no sul de Londres, palco de violentos protestos contra a premiê em 1981. A polícia também conteve distúrbios em Bristol, no sudoeste da Inglaterra, em Liverpool, no norte, e em Glasgow, capital da Escócia.

Mau gosto

O ex-primeiro-ministro britânico trabalhista Tony Blair, que assumiu o governo em 1997 após 18 anos dos mandatos conservadores de Margaret Thatcher e John Major, afirmou que as comemorações pela morte da ex-premiê são de "extremo mau gosto". "Mesmo quando discordamos completamente de alguém, devemos mostrar respeito quando essa pessoa morre", disse Blair.

Polêmica: Veja as principais frases de Margaret Thatcher

Segundo amigos, a ex-premiê morreu "em paz" às 11h28 da manhã de segunda-feira enquanto lia um livro. Margaret Thatcher, que tinha o título de baronesa, terá um funeral com honras militares, mas não um funeral de Estado.

Veja a trajetória de Margaret Thatcher em imagens:

Premiê britânico David Cameron posa ao lado de Margaret Thatcherna entrada do nº10 da Downing Street em Londres (08/06/2010)
. Foto: APMargaret Thatcher presta condolências durante funeral de seu amigo e aliado Ronald Reagan, ex-presidente dos EUA (09/06/2004). Foto: APFoto datada dos anos 1980 mostra a ex-premiê britânica Margaret Thatcher. Foto: APEntão premiê, Margaret Thatcher acena aos seus partidários na sede  do Partido Conservador após vencer eleições gerais (12/6/1987). Foto: APMargaret Thatcher gesticula com uma caneta durante coletiva nas Nações Unidas (23/6/1982). Foto: APMargaret Thatcher visita a Casa Branca, em Washington, acompanhada pelo então presidente dos EUA Jimmy Carter (17/12/1979). Foto: APEntão governador da Califórnia, Ronald Reagan recebe medalha da ex-premiê britânica Margaret Thatcher em Londres (09/04/1975). Foto: APMargaret Thatcher ganha um beijo do marido, Denis, depois de vencer a primeira rodada da eleição pela liderança do partido
. Foto: APEntão parlamentar pelo Partido Conservador, Margaret Thatcher posa para foto na cozinha de sua casa em Chelsea (01/02/1975). Foto: APEm foto dos anos 50, a candidata Margaret Thatcher acompanha quatro eleitores no piano para uma canção no bar de Bull Inn, Dartford. Foto: AP

Até hoje, o único primeiro-ministro a receber esta honra foi Winston Churchill , que liderou a Grã-Bretanha durante a Segunda Guerra Mundial (1939 - 1945). Apesar do caráter supostamente "inferior" do funeral dedicado a Thatcher, a cerimônia contará com a presença da rainha Elizabeth 2ª, além de outros 2,5 mil convidados, entre eles vários chefes de Estado.

Thatcher assumiu a liderança do Partido Conservador e o governo do país em 1979, durante um período que ficou conhecido como "Inverno do Descontentamento". Corpos não podiam ser enterrados porque coveiros estavam em greve, refletindo o clima de crise e divisão política em que se encontrava o país.

Cinema: Papel de Margaret Thatcher deu Oscar de melhor atriz para Meryl Streep

Thatcher enfrentou os sindicatos e implementou no país uma série de políticas neoliberais que incluíam privatizações e a desregulamentação do setor financeiro. Seus críticos destacam que o melhor estado da economia ao final do seu governo se deve em boa parte aos recursos provenientes da exploração do petróleo do Mar do Norte.

O setor de mineração foi o mais afetado pelas medidas de Thatcher, que enfrentou uma greve geral de mineradores com duração de um ano, entre 1984 e 1985. Mais de 100 minas consideradas deficitárias no país foram fechadas, resultando em altos índices de desemprego em várias cidades do país.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas