Congresso chinês inicia etapa final de transição de poder

Por BBC Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Reunião de duas semanas oficializará Xi Jinping como novo presidente do país e escolherá postos-chave do Executivo

BBC

O Congresso Nacional do Povo da China começou nesta terça-feira um encontro de duas semanas que deve culminar com a oficialização da troca de comando no país. Xi Jinping, eleito em novembro para a liderança do Partido Comunista, será empossado como novo presidente do país em substituição a Hu Jintao, presidente desde 2003.

Recursos: China aumenta Orçamento de Defesa, mas gasta mais com segurança interna

O Congresso também oficializará Li Keqiang como novo premiê, no lugar de Wen Jiabao. A sessão anual do Congresso, o Parlamento chinês, deve ser observada de perto neste ano, para verificar quem será nomeado para outros postos-chave da administração do país.

Corrupção: Bo Xilai se recusa a colaborar com China e faz greve de fome, dizem fontes

AP
Telão mostra premiê chinês, Wen Jiabao, durante sessão de abertura do Congresso Nacional em Pequim, na China

Leia mais: Apesar de discurso sinalizar abertura, China mantém forte cerco à imprensa

Metas

Em um discurso na manhã desta terça-feira, durante a abertura da sessão anual do Congresso, Wen Jiabao prometeu crescimento estável, esforços de combate à corrupção e uma melhor provisão de benefícios sociais.

Ele também pediu um desenvolvimento mais balanceado ao apresentar seu último relatório de trabalho - um documento de 29 páginas aprovado por consenso pela liderança chinesa. O documento estabeleceu uma meta de 7,5% de crescimento em 2013, o mesmo planejado para 2012, com uma inflação projetada de 3,5%, além de prometer a criação de mais de 9 milhões de novos empregos urbanos.

Economia: China vai apostar no consumo para curar as diferenças sociais

Wen afirmou que a promoção do consumo doméstico era chave para esses objetivos e a classificou como "estratégia de longo prazo para o desenvolvimento econômico".

Comentando que as mudanças dramáticas na sociedade chinesa levaram a um aumento marcante de problemas sociais, Wen afirmou que as questões relacionadas à subsistência precisam ser atendidas.

"Precisamos fazer da garantia e da melhoria do bem-estar das pessoas o ponto inicial e o objetivo de todo o trabalho do governo, dando a inteira prioridade para isso e esforçando-se para fortalecer o desenvolvimento social", disse o premiê.

Leia mais: 'Príncipes' da China usam seu poder para transformar política do país

Ele defendeu ainda a necessidade de melhorar as provisões de pensões para os pobres e também se concentrou nos efeitos adversos do desenvolvimento no ambiente, dizendo: "O estado do ambiente ecológico afeta o nível do bem-estar do povo e também a posteridade e o futuro de nossa nação".

Corrupção

A corrupção - o foco do discurso de Xi Jinping ao ser nomeado líder do Partido Comunista, em novembro - também esteve na agenda de Wen, que pediu uma "integridade política" fortalecida e melhores controles sobre o poder.

Transição: Congresso confirma Xi Jinping como novo líder da China

A mídia estatal chinesa também anunciou que os gastos com defesa deverão aumentar 10,7% neste ano, para US$ 115,7 bilhões, numa leve queda no percentual de aumento, que foi de 11,2% em 2012.

Os gastos militares da China vêm aumentando em mais de 10% há vários anos, e observadores dizem que os gastos reais devem ser ainda maiores do que os projetados. Ainda assim, deverão ficar muito aquém dos gastos militares dos Estados Unidos.

Apesar disso, o aumento do orçamento militar chinês é observado de perto tanto pelos Estados Unidos quanto pelos países vizinhos da China com os quais o país mantém disputas territoriais. Em seu discurso, Wen prometeu "manter decididamente a soberania, a segurança e a integridade territorial da China".

AP
O novo secretário-geral do Partido Comunista Chinês, Xi Jinping, no encerramento do congresso em Pequim (15/11)

Homem do povo

Cerca de 3 mil delegados participam do Congresso, em sua grande maioria integrantes do Partido Comunista. Na China, o papel do Congresso não é o de debater ou votar políticas, mas somente ratificar as decisões já tomadas a portas fechadas pelas autoridades do Partido Comunista.

Saiba mais: Entenda os desafios que aguardam a nova liderança chinesa

Apesar de o calendário exato não ter sido divulgado, é esperado que, após as duas semanas da reunião do Congresso, Xi Jinping seja formalmente empossado como o novo presidente do país.

Desde sua nomeação como líder do partido, Xi vem sendo promovido na mídia chinesa como um homem do povo que dispensa as benesses usuais do cargo, além de ser um nacionalista ferrenho.

Ele também foi citado por suas declarações firmes sobre a necessidade de combater a corrupção em todos os níveis e sua advertência de instabilidade social se os privilégios dos membros do partido não forem controlados.

Críticas

Os novos líderes chineses devem herdar um público muito mais crítico do que seus antecessores enfrentavam, com a popularização da mídia social forçando os líderes a atender mais às preocupações do público.

Cantora lírica: Nova primeira-dama leva imagem menos sisuda ao governo chinês

Na véspera do Congresso, a mídia do país refletiu as altas expectativas do público, relatando demandas por ações contra a corrupção e a desigualdade, para melhoria da educação e dos cuidados sociais e de proteção ao ambiente.

Após o discurso de Wen, muitos internautas postaram comentários no Weibo, a versão chinesa do Twitter, criticando o premiê por não apresentar soluções específicas para os desafios crescentes.

Alguns deles destacaram preocupações particulares, como a reforma do sistema de registros residenciais ou da poluição da água e do ar, enquanto outros falaram sobre o aumento da desigualdade de renda. "Qualquer aumento econômico que tenha havido somente beneficiou autoridades corruptas; as pessoas comuns ainda são pobres", disse um internauta.

Leia tudo sobre: chinawen jibaoxi jinpingcongresso chinêspartido comunista

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas