Entre as recomendações estão, por exemplo, urinar e vomitar no agressor ou ainda que a vítima diga ao estuprador que 'tem doença venérea ou está menstruada'

BBC

Uma universidade do Estado americano do Colorado causou polêmica ao sugerir "dicas" às alunas para evitar a violência sexual. Entre as recomendações, estão, por exemplo, urinar ou vomitar no agressor.

A lista, com dez sugestões, foi publicada na terça-feira (19) pelo departamento de segurança pública no site da Universidade de Colorado em Colorado Springs. Devido ao furor causado pelas sugestões, a compilação foi posteriormente retirada da página no mesmo dia e substituída por um pedido de desculpas.

Mississippi: Sob risco de fechar, clínica de aborto tem busca acima do normal

Universidade de Colorado Colorado Springs (UCCS) é alvo de polêmica após divulgar dicas para evitar estupro
Divulgação
Universidade de Colorado Colorado Springs (UCCS) é alvo de polêmica após divulgar dicas para evitar estupro


Mundo árabe: Marrocos mudará lei que encoraja casamento entre estuprador e vítima

Em Nova York:  O desafio de abrigar criminosos sexuais

Entre as dicas, estavam recomendações como "vomitar ou urinar no agressor" ou "dizer ao estuprador que possui uma doença venérea ou está menstruada". O assunto teve ampla repercussão nas redes sociais. No Twitter, a hashtag "#UCCSTips" rapidamente entrou nos trending topics.

A blogueira conservadora Michelle Malkin foi uma das que criticaram a lista. "Novas dicas para as mulheres da UCCS: se vomitar ou urinar não detiver seu agressor, tente soltar gazes", ironizou Malkins. Algumas das estudantes no campus da universidade disseram estar confusas com a lista.

Leia mais: 'Estupro é estupro. É crime', diz Obama sobre frase polêmica de republicano

Tunísia: Após ter sido estuprada, mulher é acusada de 'ato indecente'

"Dizer ao seu agressor que você tem uma doença ou está menstruada? Não entendo como isso pode evitar que alguém deixe de ser abusada", afirmou a estudante Leah McFann à KRDO, afiliada da rede de TV americana CNN.

Outro lado

Para Tom Hutton, porta-voz da universidade, a lista foi tirada de contexto. "Foi uma informação adicional direcionada às mulheres que concluíram o curso de defesa pessoal no campus", disse Hutton à KRDO.

Leia mais: Dois brasileiros são presos acusados de estupro nos EUA

Hutton afirmou que a lista foi criada em 2006, mas foi atualizada devido a casos recentes de estupro no Colorado. Na semana passada, os parlamentares do Estado discutiram um projeto de lei que visa ao banimento das armas de fogo nos edifícios dos campi universitários estaduais.

O debate ganhou visibilidade depois que o senador democrata Joe Salazar fez declarações polêmicas sobre a forma como as mulheres devem se proteger dentro das universidades. "Se você pressentir que será estuprada ou achar que está sendo seguida, ou mesmo se você acredita estar em uma situação complicada e na verdade não estiver, você pode cometer um grande erro se apertar o gatilho ou sair atirando."

Posteriormente, Salazar desculpou-se pelos comentários.

Dicas contra estupro da Universidade de Colorado

Uma lista feita pela Universidade de Colorado em Colorado Springs causou polêmica por dar sugestões às alunas para evitar um estupro. Confira abaixo:

1. Seja realista sobre a sua habilidade de se proteger.

2. Se seu instinto for gritar, vá em frente! Isso pode surpreender seu agressor e você terá a oportunidade de fugir.

3. Deixe para trás seus sapatos se você tiver tempo e não puder correr.

4. Não perca tempo olhando para trás; apenas fuja.

5. Se sua vida correr perigo, a resistência passiva pode ser a sua maior defesa.

6. Diga a seu agressor que você tem uma doença venérea ou está menstruada.

7. Vomitar ou urinar também podem ser maneiras convincentes de manter seu agressor afastado.

8. Gritar, bater ou morder dá a você uma chance de escapar, então, não pense duas vezes. Faça!

9. Entenda que algumas atitudes tomadas por você podem ser prejudiciais.

10. Lembre-se de que cada situação de emergência é diferente. Só você pode decidir qual será a reação mais apropriada.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.