Ação na América Central e do Sul resultou na apreensão de R$ 15,6 milhões em madeira

BBC

Pequenos assentamentos são alvo do desmatamento promovido por madeireiros ilegais (foto de arquivo)
BBC
Pequenos assentamentos são alvo do desmatamento promovido por madeireiros ilegais (foto de arquivo)

A Interpol anunciou a prisão de quase 200 em uma operação internacional de larga escala contra a extração e o tráfico ilegal de madeira. A ação, conduzida em 12 países da América Central e do Sul - entre eles o Brasil -, durou três meses e resultou na apreensão de US$ 8 milhões (R$ 15,6 milhões) em madeira.

Meio ambiente: Madeireiros ilegais desafiam combate ao desmatamento na Amazônia

Mashco-Piro:  ONG divulga fotos de índios isolados na amazônia peruana

A agência internacional de polícia criminal disse que o comércio ilegal global de madeira, estimado em US$ 100 bilhões (R$ 300 bilhões), tem atraído grupos de crime organizado a áreas remotas em florestas e provocado um aumento nos casos de corrupção e assassinatos, em especial na região sul das Américas.

Agentes da Interpol revistaram caminhões, navios e contêineres, assim como empresas e indivíduos, confiscando o equivalente à carga de cerca de 2 mil caminhões em madeira extraída ilegalmente. Mais de 100 suspeitos permanecem sob investigação.

Leia mais: Amazônia registra menor taxa de desmatamento da história, diz ministra

'Operação Chumbo'

O chefe do programa de combate a crimes ambientais da organização, David Higgins, disse que a "Operação Chumbo" foi apenas o primeiro passo na campanha da Interpol contra o negócio ilegal com madeira de florestas protegidas.

Saiba mais: Madeireiros ilegais invadem área de tribos isoladas na Amazônia

Ele disse que a abertura de processos judiciais contra os acusados é dificultada pelo fato de o comércio envolver vários países, mas a organização ajudará os governos a aplicar a lei de maneira mais uniforme.

A cooperação entre guardas florestais, agentes de alfândega e proteção de fronteiras e as polícias será fundamental na ação contra o tráfico de madeira. Nos últimos anos, dezenas de ativistas contra desmatamento e extração ilegal nas florestas foram mortos no Brasil em ataques que seriam ligadas à atividade ilegal.

A Interpol disse ainda que na Colômbia grupos rebeldes estariam cada vez mais se voltando para essa atividade como fonte de renda. Na Venezuela, houve confrontos entre tribos indígenas e madeireiros ilegais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.