Gêmeos confundem polícia francesa após DNA 'solucionar' crime

Por BBC |

compartilhe

Tamanho do texto

Agentes dizem ter certeza de que ao menos um dos dois é responsável pelos ataques sexuais na cidade de Marselha, mas não sabem dizer qual deles

BBC

Dois irmãos gêmeos foram presos pela polícia francesa, que agora tenta descobrir qual dos dois é o dono do DNA identificado durante as investigações de uma série de ataques sexuais na cidade de Marselha, no sul do país.

Reino Unido: Polícia britânica usa o Facebook para solucionar crime

A polícia diz ter certeza de que ao menos um dos dois é responsável pelos ataques, mas que não sabe qual deles. As técnicas tradicionais de exame de DNA não são capazes de diferenciar os dois.

Gêmeos univitelinos (nascidos a partir de um único óvulo) têm DNA quase idênticos. Os dois irmãos de 24 anos, identificados apenas pelos primeiros nomes, Elwin e Yohan, foram detidos para investigação até que a polícia consiga descobrir qual deles é o criminoso.

Vítimas

Seis ataques sexuais semelhantes foram cometidos em Marselha contra mulheres entre 22 e 76 anos no período entre setembro de 2012 e janeiro de 2013. A primeira pista colhida pela polícia foi uma gravação por uma câmera de circuito interno em um ônibus, o que levou à prisão dos irmãos.

Leia mais: Apresentador da TV britânica cometeu mais de 200 crimes sexuais

Saiba: Astro pop é preso por conexão com escândalo de pedofilia no Reino Unido

Uma vítima identificou um deles como autor do ataque, mas não conseguiu diferenciar entre os dois.

Segundo o correspondente da BBC em Paris Hugh Schofield, os investigadores tentam descobrir qual dos dois é o criminoso, mas admitem até mesmo a hipótese de que os dois são responsáveis pelos ataques.

Traços do DNA do criminoso - ou dos criminosos - haviam sido colhidos com as vítimas. Segundo a polícia local, um teste genético ultrassofisticado capaz de diferenciar o DNA dos dois irmãos poderia custar mais de 1 milhão de euros (cerca de R$ 2,6 milhões).

Segundo um especialista em genética, um exame normal de DNA compara cerca de 400 pares de bases de DNA, mas para ser capaz de diferenciar entre dois gêmeos idênticos, seria necessária a análise de bilhões de pares.

Leia tudo sobre: estuprocrime sexualdnagêmeosfrança

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas