Casa de repouso causa polêmica na Inglaterra ao contratar prostitutas

Por BBC Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Profissionais dão 'tratamento holístico' para residentes deficientes. 'Não há necessariamente um ato sexual. Às vezes, só um abraço para quem precisa de compaixão', diz ONG

BBC

A contratação de prostitutas para oferecer o que foi chamado de "tratamento holístico" em uma casa de repouso de Essex causou polêmica no Reino Unido.

Revelações: Prostitutas mais velhas de Amsterdã contam segredos em livro

O uso dos serviços de profissionais do sexo tem sido adotado há vários anos pela casa de repouso de Chaseley, em um distrito de Essex. A maior parte dos residentes é formada por ex-funcionários públicos deficientes.

A polêmica veio à tona após declarações de um porta-voz do Conselho de Eastbourne (equivalente a uma espécie de câmara distrital), que descreveu a prática como inapropriada em entrevista ao jornal The Times.

O porta-voz, que não foi identificado, disse que a contratação de prostitutas para prestar serviços de ordem sexual coloca "os residentes sob risco de exploração e abuso".

Penalidade: Cidade belga multa prostitutas por roupa curta

Procurado pela BBC Brasil, o conselho disse que está investigando o caso e não fará mais declarações sobre o assunto até a conclusão da análise. A casa de repouso também não quis comentar o caso.

Abraço

Em entrevista à BBC Brasil, a porta-voz da ONG Outsiders, que defende a contratação de profissionais do sexo para prestar serviços a deficientes, disse que a casa de repouso procurou a organização em 2006, interessada na época em adotar a prática.

Restrição: Província argentina fecha bordéis e dá passagens de volta a prostitutas

Tuppy Owens afirma que a ex-diretora da casa de repouso Elena Barrow mostrou-se satisfeita com a experiência e relatou resultados positivos meses após a adoção da prática. Borrow está afastada da instituição por motivos de saúde.

Owens defende a iniciativa da casa de repouso, diz que a medida não é ilegal e critica o que chama de "discussão sem sentido" em torno do caso.

NY: Cafetões driblam polícia com 'bordéis-móveis' e entrega em domicílio

"Não há necessariamente um ato sexual. Muitas vezes, há apenas um abraço para quem precisa de compaixão", afima Owens. "O objetivo é mostrar que essas pessoas tem um corpo que pode ser sexual. E esse trabalho aumenta a confiança delas pessoas, além de oferecer algum tipo de alívio sexual."

Leia tudo sobre: casa de repousoprostituiçãoprostitutasreino unido

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas