Reino Unido e Irlanda investigam carne de cavalo em hambúrgueres

Por BBC Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Contaminação foi descoberta por autoridades irlandesas que examinaram 27 produtos diferentes e constataram que dez tinham traços de DNA de cavalos e 23 de porcos

BBC

BBC

Getty Images
Hambúrgueres foram produzidos em dois frigoríficos irlandeses e um da Inglaterra (foto ilustrativa)

Autoridades do Reino Unido e da Irlanda estão investigando como hambúrgueres de carne bovina vendidos em grandes cadeias de supermercados dos dois países foram contaminados com carne de cavalo.

2012: Primeiro hambúrguer de carne artificial deve ir à mesa em outubro

A contaminação foi descoberta pelas autoridades de saúde da Irlanda, que examinaram 27 produtos diferentes e constataram que dez deles tinham traços de DNA de cavalos e 23 continham DNA de porcos.

Os hambúrgueres com DNA de cavalo haviam sido produzidos em dois frigoríficos irlandeses e um de Yorkshire, na Inglaterra. Segundo as autoridades dos dois países, o consumo dos hambúrgueres não trazia riscos à saúde, mas os produtos já foram retirados das prateleiras dos supermercados.

'Atitude responsável'

Em uma das amostras pesquisadas, a carne de cavalo representava 29% do conteúdo total de carne de um hambúrguer congelado. Além dos hambúrgueres, também foram testados 31 outros produtos com carne bovina, como tortas, um curry e uma lasanha, dos quais 21 apresentaram traços de DNA de porcos.

O diretor de proteção ao consumidor da Autoridade de Segurança dos Alimentos da Irlanda (FSAI, na sigla em inglês), Raymond Ellard, afirmou que várias investigações estão em curso para determinar o que ocorreu.

"As empresas tiveram uma atitude muito responsável. Elas voluntariamente retiraram os produtos da venda, assim como os supermercados", disse. "Uma longa cadeia de investigações está em curso agora para verificar todos os ingredientes usados nesses produtos, de onde eles vieram e como a contaminação cruzada pode ter acontecido", disse.

Explicação plausível

Para o diretor-executivo da FSAI, Alan Reilly, há uma explicação mais plausível sobre a presença de DNA de porcos nos produtos, já que carnes de diferentes animais são processadas nos mesmos locais, mas ainda não existe uma explicação para a presença de carne de cavalo, que não é processada nos frigoríficos em questão.

"Na Irlanda, não faz parte de nossa cultura comer carne de cavalo e, portanto, não esperamos encontrá-la em um hambúrguer", disse. "Da mesma forma, para alguns grupos religiosos, ou pessoas que se abstêm de comer carne de porco, a presença de traços de DNA de porcos é inaceitável", afirma.

O ministro da Agricultura da Irlanda, Simon Coveney, disse que o consumo dos hambúrgueres não traz riscos à saúde dos consumidores e afirmou que o país tem "provavelmente o melhor controle e os melhores padrões de higiene alimentar do mundo". Os frigoríficos investigados afirmam que nunca compraram ou processaram carnes de cavalo e estabeleceram uma investigação própria sobre dois fornecedores europeus.

Leia tudo sobre: reino unidoirlandacarne de cavalohambúrguercavaloporcocarne de porco

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas