Navio de cruzeiro naufragou há um ano com mais de 4,2 mil a bordo depois de colidir com rochas submersas na costa da ilha de Giglio, Itália

BBC

BBC

Há pouco mais de um ano, mais de 4,2 mil passageiros e tripulantes relaxavam a bordo do luxuoso cruzeiro Costa Concordia, que fazia o início de uma viagem pelo Mediterrâneo. Mas agora o navio, que tombou junto a um rochedo na costa da ilha de Giglio, na Itália, está sendo objeto daquela que deverá ser a mais audaciosa operação de resgate já realizada.

Naufrágio na Itália: Infográfico explica o que aconteceu com o Costa Concordia
Zoom: Veja imagens do naufrágio na Itália
Julgamento: Relatório culpa capitão, equipe e empresa por naufrágio do Costa Concordia

Infográfico mostra passos de operação para desencalhe de navio Costa Concordia
BBC Brasil
Infográfico mostra passos de operação para desencalhe de navio Costa Concordia

Domingo:  Sobreviventes do Concordia participam de homenagem um ano após naufrágio

As dimensões do navio tornam a operação extremamente complexa. O primeiro passo do desencalhe será impedir que a embarcação deslize para o fundo do mar. Isso acontecerá prendendo a embarcação com cabos ultrarresistentes fixados a mastros.

Passo a passo

O passo seguinte será colocar uma placa de aço para segurar o casco do navio. Depois, serão instalados outros cabos e tanques de flutuação. A terceira operação será colocar sacos de areia e cimento debaixo do casco para dar-lhe mais sustentação. Mastros serão perfurados no fundo do mar, utilizando uma técnica de circuito fechado para garantir que os detritos não contaminem a água. Nesse meio tempo, serão instaladas plataformas submarinas para garantir a sustentação do navio. As plataformas serão conectadas aos mastros submarinos.

1 ano: Traumas assombram sobreviventes um ano após naufrágio do Costa Concordia

Etapa final

Após a instalação de todos esses equipamentos, o navio já poderá ser levado de volta para sua posição original, graças a uma máquina especial que vai puxá-lo pouco a pouco. Para finalizar a operação e fazer o Costa Concordia flutuar normalmente, á água existente nos tanques será substituída por ar. Assim que o navio partir, toda a estrutura montada será retirada, dando lugar à nova vegetação marinha. A expectativa é de que a operação seja concluída entre setembro e outubro deste ano.

Assista ao vídeo:

*O vídeo foi cedido pelas empresas Titan e Microperi, responsáveis pela operação de resgate

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.