Professor evita novo massacre em escola dos EUA

Por BBC Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Estudante portava espingarda com munição suficiente para 'matar muitas pessoas', segundo a polícia. Aluno foi convencido a baixar sua arma após dialogar com professor e funcionário

BBC

Um professor evitou o que poderia ter-se transformado em um novo massacre promovido por atirador em uma escola secundária nos EUA.

Segundo a polícia, um professor e um funcionário (que não tiveram os nomes revelados) do colégio Taft Union, na Califórnia, dialogaram com um aluno que entrou no local armado. Ele já havia disparado contra um estudante, mas foi convencido a baixar sua arma. Policiais disseram também que o atirador tinha munição suficiente para "matar muitas pessoas".

Leia: Cai número de compradores de armas em Estados com ataques a tiros nos EUA

AP
Paramédicos transportam estudante ferido durante ação de atirador em escola em taft, Califórnia

Saiba mais: Leis imperfeitas refletem dificuldade no controle de armas de fogo nos EUA

O estudante ferido foi levado para um hospital em estado crítico. O ataque começou por volta das 9h (15h em Brasília), quando um aluno chegou à escola atrasado. Ele estava armado com uma espingarda.

Estudantes e funcionários telefonaram para a polícia, mas, antes que a ajuda chegasse, o atirador disparou contra duas vítimas em uma sala de aula no setor de ciências da escola. Um dos tiros errou o alvo.

Treinamento: Professores de Utah são treinados a usar arma após massacre em Newtown

Harrold: Cidade no Texas permite professores com armas na escola

O professor foi atingido de raspão por um disparo e interveio. Segundo a imprensa americana, o educador teria dito ao suspeito que não admitiria um ataque em sua sala. O agressor então abaixou sua arma e foi preso por policiais.

Parentes dos alunos da escola, que fica a 190 quilômetros ao norte de Los Angeles, disseram que o atirador foi suspenso das aulas no ano passado. Forças de segurança locais fizeram buscas nos arredores da escola em busca de comparsas do atirador ou eventuais novas vítimas.

Acesso a armas

A ação aconteceu cerca de um mês após o massacre da escola primária de Sandy Hook - no qual um rapaz deixou 26 mortos, entre alunos e professores, antes de se suicidar.

Porta-voz da Casa Branca: Obama apoia proibição a armas de assalto

Reação: Obama pede 'propostas concretas' sobre controle de armas até janeiro

O episódio desencadeou um debate nacional sobre a legislação que regula a compra e a posse de armas nos EUA. O vice-presidente Joe Biden, responsável por um grupo para analisar o tema, deve apresentar suas recomendações ao presidente Barack Obama na próxima semana.

O colégio Taft Union ficará fechado nesta sexta, mas disponibilizará funcionários para atender eventuais alunos preocupados.

Leia tudo sobre: euaatiradorcalifórnia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas