Vítima de estupro coletivo na Índia luta pela vida em hospital de Cingapura

Submetida a três cirurgias, jovem de 23 anos estuprada violentamente em ônibus tem infecção no pulmão e abdômen, danos no cérebro e respira com a ajuda de aparelhos

BBC Brasil |

BBC

A jovem que foi vítima de um violento estupro em Nova Délhi , cujo caso teve grande repercussão na Índia, está "lutando para sobreviver", segundo os médicos que a estão tratando em um hospital em Cingapura .

Medida: Índia deve publicar nomes, fotos e endereços de estupradores na internet

AP
Manifestante indiano grita palavras de ordem ao ser barrado por polícia durante protesto contra estupro coletivo de jovem de 23 anos em Nova Délhi (27/12)

Após protestos: Índia manda abrir inquérito de estupro coletivo em ônibus

A indiana de 23 anos sofreu danos no cérebro e precisa da ajuda de equipamentos médicos para respirar. Ela chegou à Cingapura na quinta-feira depois de ter sido submetida a três cirurgias na Índia.

"A paciente está lutando contra as estatísticas, lutando para sobreviver", disse nesta sexta-feira Kelvin Loh, que é diretor do hospital Mount Elizabeth de Cingapura. "A investigação da nossa equipe médica logo que ela chegou ao hospital mostrou, que além de uma parada cardíaca, ela também teve infecção no pulmão e no abdômen, além de dano cerebral."

Loh disse que a equipe de especialistas "trabalha sem descanso para tratá-la desde que ela chegou, e faz tudo que é possível para estabilizar sua condição nos próximos dias". A família da jovem também viajou a Cingapura.

Protestos nacionais

O ataque, no dia 16, desatou uma série de protestos violentos na Índia , com manifestantes pedindo o fim da impunidade para pessoas acusadas de estupro. Um policial morreu durante um dos incidentes. Seis homens foram presos, e dois policiais envolvidos na investigação do caso foram suspensos.

'Capital do estupro':  Estupro coletivo de indiana expõe descaso de Nova Délhi com mulheres

O ministro do Interior da Índia, Sushil Kumar Shinde, disse que o governo decidiu mandar a jovem para o exterior, acatando uma recomendação dos médicos indianos. "Apesar dos melhores esforços dos nossos médicos, a vítima continua em estado crítico, com seu estado de saúde oscilando, o que é uma grande fonte de preocupação para todos nós."

Veja imagens dos protestos contra o estupro coletivo na Índia:

O governo tenta conter a indignação da população com novas medidas de punição e prevenção a crimes de estupro. Entre as medidas está o aumento no número de patrulhas noturnas, a checagem de motoristas de ônibus e a proibição de vidros escuros ou cortinas em veículos de transportes público.

O governo também prometeu publicar na internet fotos, nomes e endereços de estupradores condenados pela Justiça. Duas comissões foram estabelecidas - uma para acelerar o julgamento de casos de estupro e outra para examinar os erros cometidos no incidente específico de Nova Délhi.

A jovem havia pego um ônibus com um amigo na região de Dwarka, no sudoeste da cidade, quando foi estuprada pelos passageiros por quase uma hora, espancada com barras de metal e jogada para fora com o veículo ainda em movimento.

    Leia tudo sobre: índianova délhiestupro coletivoestupro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG