Autoridades cercam vilarejo francês que seria refúgio contra 'fim do mundo'

Cidade tida como mágica atraiu centenas de jornalistas e curiosos às vésperas de ‘apocalipse’ maia, que segundo suposta profecia acontece nesta sexta-feira

BBC |

BBC

Autoridades francesas prepararam um esquema especial de segurança para impedir a superlotação de um pequeno vilarejo que, segundo grupos esotéricos, oferece salvação ao "fim do mundo" , previsto para 21 de dezembro segundo uma suposta profecia maia.

A fama da cidade de Bugarach, no sudoeste do país, como centro "místico" e "mágico", tem crescido bastante nos últimos anos, graças em especial, à imprensa e à ação de grupos esotéricos na internet.

Ciência:  Nasa desmente 'fim do mundo' e alerta sobre suicídios

História:  Profecias sobre o fim do mundo existem desde a Antiguidade

AP
Bugarach, vilarejo no sudoeste da França, atraiu visitantes que acreditam que lugar pode proteger de apocalipse (foto de arquivo)


Entenda:  Saiba como surgiu a profecia do fim do mundo

Sites vinham circulando há anos rumores de que o vilarejo, que fica na encosta de uma montanha com o mesmo nome, seria "um estacionamento de Ovnis (objetos voadores não identificados)", um local "sagrado" que ofereceria refúgio para quem quisesse escapar do "apocalipse" de 21 de dezembro.

Essa data, de acordo com uma profecia baseada em interpretações do calendário maia, marcaria o fim de uma era de 5 mil anos - para alguns, o "fim do mundo".

'Sem fundamento'

Em entrevista à BBC Brasil , entretanto, Éric Freysselinard, secretário de segurança pública da região do Aude, onde fica Bugarach, "essas histórias de extraterrestres e de apocalipse não têm nenhum fundamento". "Vai fazer frio, chover e não vai acontecer nada ali. Por razões de segurança, vamos bloquear os acessos ao vilarejo se houver muita gente", disse.

Mudança:  Líderes maias vão aos EUA explicar mudanças no ciclo do calendário

Pesquisa:  Uma em 7 pessoas acredita que fim do mundo está chegando

"Vamos adaptar o esquema de segurança em função da evolução da situação e do comportamento dos visitantes", disse Freysselinard, que quer evitar a entrada de grupos de "pessoas agitadas" em Bugarach.

Uma centena de policiais e bombeiros, foram deslocados para a cidade na última quarta-feira, como parte das medidas de segurança, que ficarão em vigor até o dia 23 deste mês. Os policiais ergueram barreiras nas estradas ao redor para controlar o fluxo de veículos. O camping local ficará fechado no período e passeios na montanha estão proibidos, como também a realização de festividades nas ruas.

O acesso ao pico da montanha de Bugarach, com 1,2 mil metros de altura, também está proibido. Não será possível nem sobrevoá-lo até o dia 23. Apenas os moradores, que receberam um passe, e pessoas autorizadas podem circular livremente pelo vilarejo.

Grutas

O esquema de segurança também inclui o policiamento das várias grutas na região. As autoridades fizeram um mapeamento das várias grutas ao redor da montanha e estão prontos para agir em caso de necessidade.

"Tememos que as pessoas entrem nessas cavidades sem tomar nenhum tipo de precaução e fiquem perdidas nas grutas", diz o comandante Sébastien Grand-Clément, da polícia militar. Até um posto médico com psicólogos foi instalado no vilarejo nesse período.

Mas por enquanto, são apenas os jornalistas que lotam Bugarach. "Até o momento, não constatamos um fluxo significativo de visitantes. Há principalmente jornalistas em Bugarach", afirma o secretário de segurança pública, responsável pela implementação do esquema especial.

Segundo as autoridades locais, 260 jornalistas do mundo todo estão credenciados para acompanhar a situação no vilarejo nesta sexta-feira, 21 de dezembro. "A movimentação corre o risco de ser grande no dia 21. Mas decidimos implantar as medidas de segurança por um período de quatro dias", acrescenta Freysselinard.

Para o secretário de segurança, "Bugarach voltará a ficar tranquilo após o dia 21".

    Leia tudo sobre: fim do mundocalendário maiamaiasbugarachfrança

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG