Após jornalista freelancer negar-se a pagar US$ 2 mil para conseguir divórcio, juiz disse que ela teria de se casar com ele; governo prometeu apurar denúncias

BBC

Uma jovem afegã gravou um juiz de seu país exigindo dinheiro e casamento em troca de ajudá-la a obter seu divórcio. Dewa, de 22 anos, havia obtido o consentimento de seu marido para o divórcio, mas, ao levar seu caso para um juiz de Jalalabad (leste), ouviu dele que ela teria de pagar US$ 2 mil. "Ele disse que dividiria a quantia com outro juiz", declarou Dewa à BBC.

Transferência de comando: Mulheres devem ter papel crucial no Exército do Afeganistão

Por baixo da burca: Afegãs aderem à cirurgia plástica

Diante da negativa dela, o juiz disse que ela deveria se casar com ele. A conversa foi gravada por Dewa, uma jornalista freelancer. O serviço afegão da BBC obteve uma cópia e confirmou sua autenticidade.

Questionado, o juiz, chamado Zahorudin, afirmou que estava apenas "brincando" quanto à proposta de casamento e que suas declarações foram editadas para incriminá-lo. Analistas dizem que o caso evidencia como a corrupção está tomando o dia a dia do Afeganistão.

Leia também: Crescem as preocupações sobre direito femininos e tensões étnicas afegãs

Questão cultural: Costumes atrapalham mulheres do Afeganistão na Justiça

O presidente afegão, Hamid Karzai, que diversas vezes prometeu agir contra a corrupção no país, pediu que autoridades apurem as denúncias. O departamento anticorrupção do país prometeu investigar o caso "em conjunto com a Suprema Corte" do país.

Até lá, recomendou que Dewa se mantenha abrigada na casa onde está escondida, em Cabul. Seu divórcio ainda não foi finalizado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.