Afegã grava conversa em que juiz pede suborno e casamento forçado

Após jornalista freelancer negar-se a pagar US$ 2 mil para conseguir divórcio, juiz disse que ela teria de se casar com ele; governo prometeu apurar denúncias

BBC Brasil | - Atualizada às

BBC

Uma jovem afegã gravou um juiz de seu país exigindo dinheiro e casamento em troca de ajudá-la a obter seu divórcio. Dewa, de 22 anos, havia obtido o consentimento de seu marido para o divórcio, mas, ao levar seu caso para um juiz de Jalalabad (leste), ouviu dele que ela teria de pagar US$ 2 mil. "Ele disse que dividiria a quantia com outro juiz", declarou Dewa à BBC.

Transferência de comando: Mulheres devem ter papel crucial no Exército do Afeganistão

Por baixo da burca: Afegãs aderem à cirurgia plástica

Diante da negativa dela, o juiz disse que ela deveria se casar com ele. A conversa foi gravada por Dewa, uma jornalista freelancer. O serviço afegão da BBC obteve uma cópia e confirmou sua autenticidade.

Questionado, o juiz, chamado Zahorudin, afirmou que estava apenas "brincando" quanto à proposta de casamento e que suas declarações foram editadas para incriminá-lo. Analistas dizem que o caso evidencia como a corrupção está tomando o dia a dia do Afeganistão.

Leia também: Crescem as preocupações sobre direito femininos e tensões étnicas afegãs

Questão cultural: Costumes atrapalham mulheres do Afeganistão na Justiça

O presidente afegão, Hamid Karzai, que diversas vezes prometeu agir contra a corrupção no país, pediu que autoridades apurem as denúncias. O departamento anticorrupção do país prometeu investigar o caso "em conjunto com a Suprema Corte" do país.

Até lá, recomendou que Dewa se mantenha abrigada na casa onde está escondida, em Cabul. Seu divórcio ainda não foi finalizado.

    Leia tudo sobre: afeganistãocasamento forçadocorrupçãokarzai

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG