Britânico se passava na internet por 'Chantelle', 14 anos, para atacar meninas

Gary Cooper, 47 anos, usava perfil falso para conversar com adolescentes; ele foi condenado à prisão por estuprar garota de 12 anos

BBC Brasil |

BBC

BBC
Gary Cooper, em foto sem data

Um britânico foi condenado a 14 anos e quatro meses de prisão por estuprar uma menina de 12 anos do condado de Hampshire depois de aliciá-la pela internet fingindo ser uma adolescente.

Gary Cooper, de 47 anos, declarou-se culpado pelas acusações de aliciamento e estupro de menor. Morador de Hertford, ele criou um perfil falso em uma plataforma de rede social em que dizia ser uma menina de 15 anos chamada Chantelle.

Leia também:  Jovem holandês é condenado por assassinato 'via Facebook'

Com a ajuda desse perfil e após conversar com a menina por cinco dias em uma sala de bate-papo, Cooper conseguiu atrair sua vítima para um encontro em julho de 2011.

A menina foi levada para o condado de Hertfordshire, onde Cooper vive, e foi vítima do ataque.

Em Hampshire, ela foi logo dada como desaparecida, mas terminou só sendo encontrada pela polícia de Hertfordshire na manhã seguinte, quando o crime já havia ocorrido.

Esta é a segunda vez que Cooper é condenado. No mês passado, ele foi considerado culpado por abusar sexualmente de uma menina de 15 anos de idade e tirar fotografias indecentes de uma criança. Na ocasião, também admitiu a culpa.

Segundo o juiz que condenou Cooper em Hampshire, ele demonstrou ser uma figura "altamente manipuladora". "Esse incidente alerta para a facilidade com a qual os pedófilos podem usar redes sociais para se comunicar com crianças e adolescentes", disse o inspetor Dave Storey, de Hampshire.

"Os pais devem estar atentos para saber com quem seus filhos estão se comunicando e se informar sobre qualquer tipo de encontro que eles possam marcar nesses contatos por internet."

    Leia tudo sobre: internetredes sociaiscrimereino unido

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG