Ex-ministra francesa briga com milionário em ação de paternidade

Dominique Desseigne se nega a fazer o teste de DNA e afirma que foi apenas "uma aventura entre outras" na vida de ex-ministra

BBC Brasil |

BBC

Um briga judicial para reconhecimento de paternidade está movimentando a cena política da França. De um lado está a ex-ministra da Justiça, Rachida Dati , mãe de Zoha, nascida em 2009. De outro, o milionário Dominique Desseigne, que nega ser o pai. A história ainda expõe outros supostos envolvidos na aventura amorosa, como o ex-premiê espanhol José Maria Aznar.

BBC
Ex-ministra da Justiça francesa quer que 'milionário dos cassinos' faça teste de paternidade

Desseigne, presidente do grupo Lucien Barrière - proprietário de cassinos na França e do famoso restaurante e hotel Fouquet’s em Paris - será convocado na terça-feira por um tribunal de Versalhes para uma audiência da ação movida por Dati.

A ex-ministra do governo de Nicolas Sarkozy, atualmente deputada europeia e prefeita do elegante 7° distrito de Paris, sempre se recusou a revelar o nome do pai de sua filha.

O nascimento de Zohra, em janeiro de 2009, teve ampla repercussão na imprensa francesa, que especulou sobre a identidade do pai da criança, já que Dati é solteira.

O nome do ex-primeiro-ministro espanhol José María Aznar foi um dos mais citados na época.

Desseigne, de 68 anos, declarou em uma entrevista no sábado à revista M, do jornal Le Monde, que se recusa a fazer o teste de paternidade e disse ter sido apenas "uma aventura entre outras" da ex-ministra.

Oito aventuras

Os advogados de Desseigne alegam que pouco antes de sua gravidez, Dati teria tido oito relações amorosas. Entre elas, um apresentador de TV, um ministro, um empresário, um irmão do ex-presidente Sarkozy, o ex-premiê espanhol, um procurador do Catar e um herdeiro de um grupo de luxo.

Desseigne vai apresentar "um motivo legítimo" para contestar o teste de paternidade. "Não vou aceitar nada. Fui correto e não fiz nada que possa ser criticado", afirma o empresário.

A ação de paternidade está movimentando a imprensa francesa. Em outubro, já havia vazado a informação de que Dati moveria um processo judicial contra Desseigne.

Proposta

De acordo com a revista do Le Monde, logo após o nascimento de sua filha, Dati teria enviado cartas de ameaças ao milionário pedindo dinheiro.

Ela teria feito nos últimos dias uma nova proposta de negociação em troca do cancelamento da ação judicial, que expõe a vida de ambos na imprensa.

A Justiça francesa não pode obrigar o empresário a se submeter a um teste de paternidade, já que a lei prevê o consentimento da pessoa. Sua recusa em fazer o exame, no entanto, pode ser interpretado pelo tribunal como uma presunção da paternidade.

Se a Justiça reconhecer a paternidade, Zohra Dati se tornará uma das herdeiras do império de cassinos e hotéis de luxo Barrière.

Dati, quando ministra, era assunto constante nas revistas de celebridades. Seu guarda-roupa luxuoso era objeto de críticas nos jornais.

Um livro sobre o casal Carla Bruni e Nicolas Sarkozy, publicado em 2008, sugere que Dati teria sido apaixonada pelo ex-presidente e gostaria de ter sido a primeira-dama francesa.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG