Apresentador suspeito de pedofilia visitava hospitais à noite com meninas

Jimmy Savile, da BBC, recebia regularmente a chave de um hospital na cidade de Leeds, no Reino Unido, para onde levava adolescentes

BBC Brasil |

BBC

BBC
Jimmy Savile, em foto de arquivo

O apresentador de TV e rádio da BBC Jimmy Savile, suspeito de uma série de crimes sexuais , recebia regularmente a chave de um hospital na cidade de Leeds, no Reino Unido, onde fazia visitas noturnas acompanhado de meninas adolescentes.

Savile, morto no ano passado aos 84 anos, é uma lenda da TV e do rádio no Reino Unido. Ele angariou uma legião de fãs à frente de programas que se converteram em atrações de grande êxito na TV britânica, como "Jim'll Fix It" e "Top of The Pops".

Leia também:  Inquérito apura conduta da BBC em caso Jimmy Savile

Savile chegou a ser condecorado pela rainha Elizabeth 2ª por suas atividades beneficentes. Ele costumava realizar maratonas por todo o país, angariando fundos para hospitais e entidades assistenciais. A polícia suspeita que ele teria abusado sexualmente de até 300 meninas e meninos.

Terry Pratt, o então porteiro da Enfermaria Geral de Leeds conta durante a década de 80, Savile costumava chegar ao hospital de madrugada e levar as meninas para a acomodação das enfermeiras, deixando o local antes do amanhecer.

Savile, que ganhou fama na década de 60, era conhecido da equipe do hospital há vários anos devido às suas atividades como voluntário e angariador de fundos.

'Deslumbradas' e 'ingênuas'

Pratt conta que começou a desconfiar quando o astro de TV passou a chegar no meio da noite com jovens que pareciam ''fãs deslumbradas'' e ''ingênuas''. De acordo com Pratt, Savile fazia estas visitas várias vezes ao mês com meninas diferentes.

Leia também: Astro pop é preso por conexão com escândalo de pedofilia no Reino Unido

Ele pedia a chave da acomodação das enfermeiras, ao chegar lá por volta de 1h ou 2h da madrugada, passava algumas horas no quarto e devolvia a chave por volta das 5h.

''Ele ia até o sujeito da recepção que lhe dizia: 'Eis aqui a chave, Jim, não deixe de me devolver'. Ele pegava a chave e se dirigia ao quarto das enfermeiras com as meninas'', conta Pratt.

O hospital de Leeds disse, por meio de um comunicado oficial, que ''continua chocado com cada nova denúncia'' e que o hospital está ajudando a polícia em sua investigação.

A polícia investiga ainda se Savile teria abusado sexualmente de menores de idade em três hospitais para os quais ele angariou fundos.

No início deste mês, Steven George, um ex-paciente de outra instituição, o Hospital de Broadmor, relatou que Savile tinha a chave do hospital e chegou até a receber o seu próprio quarto durante a década de 70.

George, que era conhecido como Alison Pink na época, e que realizou uma operação de sexo posteriormente, disse que Savile era tratado como membro da equipe e que ele ''literalmente controlava o local''.

George conta ter sido abusado pelo apresentador na época, mas afirma que não contou para ninguém porque temeu que ninguém acreditaria.

A BBC abriu na segunda-feira um inquérito interno sobre a cultura e as práticas da corporação na época em que Savile realizou suposts delitos sexuais. Um outro inquérito da BBC está investigando a decisão de deixar de exibir uma edição do programa jornalístico Newsnight sobre acusações contra Savile.

    Leia tudo sobre: jimmy savilebbcreino unidopedofiliaabuso sexual

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG