Britânico é suspeito de assassinar menina de cinco anos que desapareceu

Polícia renova ordem de prisão de Mark Bridger, agora como suspeito de assassinato e não de possível envolvimento no desaparecimento de April Jones no País de Gales

BBC Brasil |

BBC

BBC
Mark Bridger, em foto divulgada pela polícia

O britânico preso durante as investigações sobre o desaparecimento de April Jones , de cinco anos, é agora suspeito de ter assassinado a menina, segundo a polícia do País de Gales.

A polícia fez o anúncio da renovação da ordem de prisão de Mark Bridger, agora como suspeito de assassinato e não mais apenas por possível envolvimento no desaparecimento de April Jones, nesta sexta-feira.

Leia também: Polícia divulga foto de suspeito em caso de desaparecimento

Bridger, de 46 anos, continua sendo interrogado pela polícia, enquanto as buscas pela menina estão em seu quinto dia. A polícia não divulgou que desdobramento mudou o foco das investigações de desaparecimento para assassinato. Ainda não se sabe sequer se ela está viva ou morta.

Buscas

As autoridades acrescentaram que, a partir de agora, não é mais necessária a colaboração do público que vinha participando ativamente das buscas cuja "dinâmica", segundo a polícia, mudou.

A procura por April Jones, que desapareceu na noite de segunda-feira, será feita apenas pelas equipes de especialistas no rio Dyfi e arredores da pequena cidade de Machynlleth. A participação de centenas de moradores de vilarejos vizinhos nos esforços de busca representou, segundo os policiais, uma "inspiração".

Leia também: Busca por menina de 5 anos 'levada por van' mobiliza centenas

Eles rastrearam um raio de cerca de 20 quilômetros, em 32 vilarejos, em busca de pistas que pudessem elucidar o caso. A polícia renovou, no entanto, seu apelo por informações que possam ajudar a esclarecer onde Mark Bridger esteve com seu carro, uma Land Rover, nas horas seguintes ao desaparecimento de April.

O britânico, no entanto, não foi indiciado e, para mantê-lo preso, a polícia precisará obter novas extensões de seu período de detenção. Ele foi inicialmente preso como suspeito menos de 24 horas após April desaparecer.

Bridger, segundo a imprensa britânica, morava na região há 25 anos, sendo originário de Londres. Ele chegou a trabalhar como salva-vidas e o Exército ainda não confirmou informações de que ele seria um ex-soldado. Ele teria, pelo menos, três filhos.

A família foi informada sobre a mudança do foco nas investigações. Os familiares confirmaram na quinta-feira que a menina sofria de um grau leve de paralisia cerebral e precisava ser medicada diariamente para evitar, entre outras sintomas, dor.

April estava brincando com seus amigos perto de sua casa, na pequena cidade de Machynlleth, às 19h de segunda-feira, quando foi vista pelas crianças entrando em um veículo. Inicialmente, a polícia disse que se tratava de uma van, mas, posteriormente, as autoridades divulgaram uma foto de uma Land Rover Discovery azul que pertence a Bridger.

Bridger foi detido em uma estrada que conecta Machynlleth a cidades no norte do País de Gales. A polícia montou pontos de checagem em todas as vias no entorno da cidade.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG