Irmão de Saad al-Hilli nega que suposta disputa familiar esteja por trás de mortes de quatro pessoas na França

BBC

A casa do britânico morto nos Alpes franceses , juntamente com sua mulher e outros dois adultos, será revistada pela polícia. O promotor francês Eric Maillaud, que cuida do caso, disse que policiais britânicos e franceses entrarão na casa de Saad al-Hilli, em Claygate, Surrey.

Leia também:  Briga familiar por dinheiro pode ter sido causa de crime nos Alpes

Policial coloca flores do lado de fora da casa de britânico assassinado nos Alpes franceses
AP
Policial coloca flores do lado de fora da casa de britânico assassinado nos Alpes franceses

Al-Hilli, nascido em Bagdá, era cidadão britânico. Também morreram no ataque sua mulher e sua sogra, além de um ciclista que estava próximo ao local. Sobreviveram ao ataque as duas filhas de Al-Hilli, Zainad, de 7 anos, que foi baleada e está em estado crítico, e Zeena, de 4, que não foi ferida mas está em estado de choque .

Parentes das duas filhas de al-Hilli chegaram à França. As meninas são supostamente as únicas testemunhas dos assassinatos, realizados perto do popular destino turístico do Lago de Annecy. Elas estão sob proteção da polícia.

O irmão da vítima, Zaid al-Hilli, negou uma disputa familiar por causa de dinheiro, uma das linhas de investigação do caso. Três policiais franceses teriam desembarcado no Reino Unido e já investigam o caso.

O mais experiente deles, o coronel Marc de Tarle, que lidera o Escritório de Assuntos Criminais da Gendarmaria Nacional, foi o primeiro a chegar. Maillaud disse que os policiais franceses entrevistariam irmão de al-Hilli no Reino Unido como "testemunha".

Ele se apresentou em uma delegacia de polícia no Reino Unido e negou que houvesse um conflito sobre temas financeiros.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.